sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

como os opostos se atraem

Tenho mesmo que aprender a estar calada e a guardar as coisas só para mim. Se não for assim, já sei que, é como se nos rogassem uma praga, trocam-nos a vida num piscar de olhos. A nossa felicidade às vezes não precisa, nem pode ser partilhada. É como se estivéssemos a atrair o mal.

Sem comentários: