terça-feira, 29 de dezembro de 2009

hum, e agora, hum?





Somos os maiores! Não dá hipótese. A minha mãe esteve lá. É que não se compara Oprah!

Sabem do que é que eu gostei este Natal, sabem? E querem saber?



Foi disto. É bom saber que ainda há pessoas que gostam de gastar a sua energia, que se gostam de divertir e que gostam de passar as duas coisas para outras pessoas como também lhes conseguem pôr um daqueles sorrisos e uns olhinhos brilhantes para se notar a magia do Natal. É mesmo bonito de se ver!
Gostei muito de os media terem partilhado isto connosco, gostei. Mas aquilo tem dedos de escolas de dança, e de horas extra, para alguns dos trabalhadores da companhia aérea, lá isso tem. Excelente trabalho, sim Sra.!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

desnatal



Sabes, nunca fui passar férias à neve, nem à Serra da Estrela, nem a França, nem à Suiça, mas com um bocado de sorte, tive oportunidade de ter uma vaga ideia do que era acordar, olhar para a rua, e ver tudo branco.
Nunca atravessei Portugal para ir ter com a minha família, faço no máximo 22km para os poder visitar, não é que isso seja orgulho, mas quando vou lá e decido levar lá os meus amigos, tenho orgulho, em poder passar em todas as ruas e dizer que este e aquele são me isto e aquilo. E por mais desvios que tente fazer, não à rua que naquela aldeia não escape à minha família.
Nunca fui a destinos paradisíacos, nem nunca estive nos melhores e maiores monumentos do mundo, mas sinto-me grande, quando ao pé de muita gente posso deitar cá para fora, os sítios magníficos onde já estive em Portugal. Não só porque nunca tive a oportunidade de estar fora, mas sim porque acho que muita gente quer ir ver tudo o que é de magnifico lá fora, enquanto se esquece que temos muito mais valor que certos países.
E raros foram os anos em que tive um Natal a sério. Na minha memória só tenho dois ou três Natais a sério. Aquele que passámos em minha casa, que vieram os tios, os avôs, e as avós e aquele em que só faltava o avô paterno. A partir daí o Natal deixou, definitivamente de ser o Natal. Nunca houve espírito para o Pai que perdeu o Pai exactamente no dia 25 nem para avó paterna que perdeu o marido, fora as irmãs do Pai. Mas isso, por mais dor que possa trazer, não é desculpa para não viver o Natal. As irmãs também sentiram a dor, e sentem a falta e o Natal lá em casa é o que é. E se agora não sei o que é o Natal, pode ser que um dia, quando tiver filhos, essa seja uma das coisas que eu nunca tive mas que por nunca ter tido lhes quero dar. A eles e a mim. Sem querer desvalorizar as vésperas de Natal que tenho tido a oportunidade de passar, com e sem alguns elementos da família, nem o momento em que abrimos as poucas prendas antes da meia noite, nem os momentos pequeninos que quase me passam ao lado, como quem diz, sem sentir que "Uau, é Natal!". O Natal para mim, não é só "passar com a família cheios de amor e paz" e todos esses votos só porque "isso é que é o Natal", porque não é, faz simplesmente, parte do Natal. E por mais que a melhor prenda seja estarmos todos juntos, mais um ano, isso não chega. Porque há sempre uma discussão, momentos desagradáveis, uma presença de uma desunião familiar, que nos tira o pouco espírito natalício que restava.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Sei que este vai ser outro Natal diferente do normal. Ainda era pequenina, mas a começar pelo meu pai, o natal nunca mais fez sentido desde 97 por aí, e acabando an minha avó paterna. E o espirito cada vez é menos. Depois a avó materna e a mãe, apesar de não ter sido por esta altura, são pessoas que fazem sempre falta, para encher de amor.
É nesta altura que temos de dadar amor a quem mais gostamos, mas o que poderemos nós fazer se não o podemos demonstrar a quem já cá não está? Estas coisas também precisam ser ditas, desculpem.



Tenho é de comprar uma mansão, fazer meninos, para me alegrar vê-los a andar de um lado para o outro, ver a àrvore de Natal cheia de presentes, ver toda a familia reunida junto à lareira, ver muita gente a cozinhar, ver o amor que se espalha em vários m2 e que concerteza não se desperdiça!
Mas não é por não ser nada disso que amanhã à noite não vou estar acompanhada deles os 4, que não vamos estar na cozinha, que não vamos estar junto à lareira e que não vamos esperar até à meia noite para abrirmos os presentes (que eu pela primeira vez comprei, tirumrumtim!). Fora os doces, que não me escapam, já estou mesmo a ver. Mas vocês? Vocês não fiquem a olhar para mim? Façam calor humano, encham-se todos de amor, vejam muitos filmes, conversem muito, abraçem muito, dêm muitas prendas, recebam muitas, não se esqueçam de ninguém, cuidado com o tempo que para aí anda, e por aí fora e façam-me o favor de ter um BOM NATAL :)

dá para notar que..

..estou de férias?!
Mas estou. E aproveitei para trabalhar. E ainda não peguei em nada da escola, nada, isso mesmo. Mas hoje é a véspera de Natal, não trabalho.. Se calhar ainda é hoje.. Ou não! Lembrei-me agora que se calhar a minha avó ou a minha mãe vão precisar de um empurrãozito. Ai vó, os velhoses que mandas-te na sexta feira estavam mesmo deliciosos, faz outros assim, mas com menoos, me-noosss calorias, sim? E quero comer bacalhau, e somente ba-ca-lhau, nada daquelas coisas verdes que se diz que se enrolam em certos sitios. Pelo menos para mim.

uma tarefa di-fi-cil.



Fui comprar as prendas de Natal muito restrigidas e como disse NÃO, OBRIGADA quando me perguntaram QUER QUE EMBRULHE? e decidi ir comprar papel de embrulho e ser eu a embrulhar. E está provado cientificamente, que esta é mais umas das coisas que eu não consigo fazer. Ou pelo menos, que não consigo fazer como deve ser, como quem diz razoavelmente, mas safo-me ohoh..Para o ano, não me escapam seus embrulhos jeitosos!

vinte e três e um puzzle



Quando uma pessoa tem consciência e é aventureira é capaz de quebrar barreiras de preconceitos e partir à descoberta. Tenho uma vaga ideia desde as nossas primeiras trocas de conversas, lembro-me perfeitamente da primeira vez que te liguei, não esqueço as horas diárias que passamos agarrados ao telemóvel, e nem acredito que pela primeira vez marcas-te presença na minha vida. Mas não foi esta a primeira vez em que começas-te a fazer parte da minha, acho que isso já aconteceu à algum tempo. Se por vezes nos sentimos com a sensação de partilhar com as pessoas presentes no nosso dia-a-dia, os laços que criamos com pessoas que por uma razão ou outra entram no nosso dia-a-dia sem nos apercebemos, é normal que ao inicio o preconceito surja. Principalmente quando duas pessoas com uma diferença de oito anos, que nunca se viram na vida, como é que é possível ser só a criação de um novo laço? À primeira vista, pensa-se que das duas uma: ou é pedófilo, ou é solitário. E por incrível que pareça, por muito que se olhe para ti de alto a baixo, e que se tente associar alguma coisa, são duas características que não encaixam contigo. Se encaixassem contigo, era preciso seres muito solitário para não tarda muito, estares à um ano, a acompanhar o meu dia-a-dia, em todas as trocas de palavras possíveis. E se fosses pedófilo, meu deus, que maneira tão subtil de o tentar fazer. Acho que nem um pedófilo, nem o solitário se davam a tanto trabalho. No nosso caso, as coisas poderiam acontecer de várias maneiras. Eu podia simplesmente identificar-te como um leitor (assíduo e pontual) do meu blog, e só por isso trocarmos de coisas que se baseassem nisso, como acontece com a maioria das poucas pessoas que vêm ao meu blog por gosto. Mas tu, mostra-te logo que era gosto, era hábito e muita vontade de me meter sempre bem-disposta. Contagiaste-me muito, mas mesmo muito, com a tua boa-disposição. E com o teu à vontade. E com a presença que ias marcando. E depois juntos, parecendo que não, já construímos qualquer coisa. Nada que vá para o recorde do Guinness nem para o Património da UNESCO, mas que com muitas pessoas não tenho conseguido, e aí, talvez a desculpa até seja, não estamos juntos todos os dias, porque certamente se assim fosse as coisas seriam totalmente diferentes, digo eu. Apesar de falar muito e muito contigo, não posso dizer que te conheço, mas sim que conheço a tua maneira de ser, comigo. Para te conhecer, é preciso muito tempo, e muitas maneiras de chegar até ti, e todos nós somos realistas ao ponto de dizer que por mais tempo que seja, para conhecer uma pessoa, nunca é o suficiente, nãoooo é? Mas hoje quando, parecendo que não, estivemos juntos, quase que tive a sensação de como se nos conhecêssemos à muito tempo, quando no fundo ainda só me habituei à tua companhia ao telemóvel, essencialmente. Mas como desde sempre, me deste um grande à vontade, e sempre me cativas-te com a tua maneira de ser, não tive medo, nem arranjei desculpas, para não desperdiçar uma “folga matinal de trabalho”, meter-me num comboio às 8 da manhã e às 9 da manhã, quando sei lá, podíamos nem sequer conhecermo-nos, ou podíamos ter combinado encontrarmo-nos sem ser com 9 ou 10 horas de antecedência, ou como quem diz, à última da hora, e quando sei lá eu podia dormir e descansar uma noite em paz em sossego (se não fosse o temporal que se fez sentir nesta madrugada), portanto, podíamos nem sequer ter a simples curiosidade de saber se tudo o que estava por trás do que se estava a construir eram as mesmas pessoas a quem conseguíamos associar certas e determinadas características, ao fim de algum tempo. Depois de ter estado 4horas e não sei quantos minutos, tive a sensação que não tinha passado de um daqueles encontros entre amigos, de quem não se vê assim, faz algum tempo. Quando no fim, tudo o que se tentava associar, encaixava que nem um puzzle.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

this christmas I gave you my heart ...

...but the very next day you gave it away!

E por causa disso, comi os ferrero rocher que tinha para te dar. E já não posso dizer que 'all I want for christmas is youuuu, baby!" - apesar de querer, e muito. Mas há coisas que, simplesmente, não fazem sentido.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

será?



"PIN DO CARTÃO DE CRÉDITO

SENHA DO CARTÃO DE CRÉDITO INVERTIDA

Se fôr alguma vez, forçado por um ladrão a retirar dinheiro da caixa de multibanco, pode avisar a polícia imediatamente, digitando a sua senha ao contrário.
Por exemplo, se a sua senha fôr 1234, então digite 4321.
A máquina reconhece que a sua senha está invertida, de acordo com o cartão que acabou de inserir.
A máquina, de qualquer maneira, dar-lhe-á o dinheiro mas, para desconhecimento do ladrão, a polícia será imediatamente accionada/enviada para o/a ajudar.
Esta informação esteve recentemente no ar na TV (a par com outras inovações tecnológicas recentemente instituídas pelo sistema bancário português) e declara que isso é raramente usado, porque as pessoas não sabem da existência deste mecanismo de defesa.
Por favor, passem isso a todos os vossos contactos.
É uma informação extremamente útil e necessária."

A minha pergunta é: será isto verdade? Será? Ou é mais um daqueles emails que são dignos de ir para o lixo sem serem reencaminhados? hum? Quem é que me vai tirar esta dúvida quem é?

foi só pegar no chá.




Tal como a Shanae me dá a entender "Tenho mesmo de ver como me vou safar, tenho. E urgentemente.Só me apetece estar longe de tudo e de todos, como quem diz, no quente e de preferência em casa" eu percebo-a porque estamos em sintonia. Comigo também foi mais ou menos assim. Só que eu, levantei-me toda desorientada, assim como que não dormiu mesmo nada, e como se não fosse a primeira noite, assim tipo zombie, e com sintomas de quem está mesmo a ficar novamente constipada. E mal olhei pela janela do meu quarto fora, e vi os carros cobertos de gelo, disse logo, pronto, estou arrumada. Queriam o quê? Sentia-me doente, sentia que se fosse para a rua o dia não me ía certamente correr bem, estava a dormir em pé porque já era a segunda noite que durmo mal, tava gelo na rua, e que não pensei duas vezes. Comi uma grande taça de chocapic e voltei a dormir. Fui acordando aos poucos e poucos com as mensagens que me enviavam mas fui dormindo dormindo... Depois feita preguiçosa nem almoço fiz e ai.. como me estava a saber bem o quente dos lençois. Depois assim mesmo lá mais para a tarde fui fazer chá, maravilha. Bebi ali quase um litro e meio de agua quente com sabor a camomila que me soube tão bem como um chocolate quente a muita gente. Mas sabem que mais? Está frio. E faltei às aulas. E a minha mãe disse-me que eu me quis baldar. Mas não. Sentia-me mesmo,.. doente. Mas amanhã tenho que estra boa, não posso faltar a um compromisso. Ainda por cima escolar, atenção. Só me apetece entrar já de férias. E está frio frio frio. E eu já sinto ranhoca no nariz.. E frio nas mãos mãos e nos pés pés. E doi-me muito a cabeça sim.

para completar o post anterior

i've traveled so far


"In my life
There's been heartache and pain
I don't know
If I can face it again
Can't stop now
I've traveled so far
To change this lonely life

I wanna know what love is
I want you to show me
I wanna feel what love is
I know you can show me"

se fizerem uma coisa assim, no fim do ano lectivo, eu vou.



É que só soube disto hoje, e o Pai Natal já mandou uma carta a dizer que as prendas de natal esgotaram-se. Este ano houve pedidos excessivos! Eu é que fazIA uma grande moche ao fim de aulas fazIA.

"se a ti te gusta a mi me encanta"



Olhem que engraçadinho que ele é! Fez as malas, pegou  livro do Dawn Brown, meteu-se num avião e foi para Punta Cana. Isto é, .. injusto, não sei se é esta palavra que se aplica, mas pronto é tudo menos justo. Aqui está um frio do c****** e a esta hora ele deve estar lá a apanhar um banho de sol dos quentes, quentes. Ai que raiva. Mas olha, eu hoje fiquei em casa. Ainda nem sai de casa, portanto, estamos mais ao menos tipo quites,.. Por hoje. Está frio, frio, fri-o... Aqui, aqui, a-qui.  E ainda me escreve a frase do titulo deste post, é no facebook, é no hi5, não tarda muito deve ser no messenger. E pronto, eu aqui. A ter de ler estas coisas.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Pode ser que um dia destes ganhe inspiração para escrever alguma coisa de jeito.. Pode, pode ser que sim ou pode ser que não. A ver vamos.

"é bem feito"


Ainda me lembro do dia em que a minha mãe foi chamada à escola por causa do meu mau, como quem diz, péssimo aproveitamento. E também me lembro do quanto os meus dias mudaram a partir daí. E lembro-me das mensagens do meu irmão, que mesmo à distância, fazia questão de me dar na cabeça. E de muitas outras pessoas.. E os telefonemas a dar cabo da cabeça? A partir daí as coisas foram simplesmente.. diferentes. E sempre soube quem foi tudo bem-feito, eu merecia. E também sei que o merecia porque as ditas pessoas só queriam o meu bem. E depois eu voltei, voltei para mostar que me esforcei e que consigo ir longe, ou ainda mais longe. E sinceramente já merecia mesmo uma coisa destas, à algum tempo. Merecia. O que me deu mais orgulho, foi a mudança que tive de fazer e o que a dita demonstrou. Lições de vida. Pode ser que daqui para a frente as coisas sejam diferentes, melhores. Mas ainda há muito que fazer. Muito por onde recomeçar.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

huummm :)

Mais um miminho. Desta vez vem da Jezebel do blog Ruelas, e este dedico a todos os meus seguidores e a todos os blogues que sigo. Um muito obrigada e não se esqueçam de reencaminhar este lindo selo :)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

meus queridos, e que tal uma cidade flutuante?

Maior que o Dolce Vita Tejo só mesmo o Oasis of The Seas. Um dia quando ganhar o euro milhões e me encher de coragem, meto-me num cruzeiro destes.




mais aqui.

essa coisa que se chama ídolos #1

Os ídolos quando americanos, fazem-me crer que o objectivo de todos os concorrentes é tornar-se um ídolo, não só pelo seu talento(ou pela falta de..), mas sim pela história que trazem consigo. Porque quem vê os ídolos americanos sabe bem que antes do dito, aqueles minutos antes das pessoas mostrarem o que valem, os concorrentes explicam o que é que lhes traz ali. E de muita coisa que ouvi, é tudo, menos seguir o sonho de cantar,.. Esse é o último objectivo de um concorrente dos ídolos americanos. Mas lá que as histórias não é o que prova o talento, até me dá motivos para dizer que há gente mesmo boa neste programa. Mas gente que é melhor, ou muito melhor, que muitos artistas que para aí andam a dar concertos. Mas os ídolos, quando portugueses, não sei que raio de palavra hei-de arranjar para os descrever. Agora percebo porque é que é um programa de entretenimento, é que aquilo, na fase dos castings é melhor que os malucos do riso (também não é muito difícil pois não? - não tarda muito tenho a sic a processar-me!). Estes ao menos vão para lá para irem directos ao que sabem fazer (ou não!). Lá dizem o que os trouxe lá e por incrível que possa parecer, e na maioria dos casos, é porque gostam de cantar e porque a música lhes preenche o espaço no coração que os americanos têm vago para o programa arranjar soluções para os seus problemas.
Meus, todos nós temos os nossos problemas na vida, não estou a dizer isto porque os problemas dos outros me passam ao lado nem porque não sei o que é passar por situações complicadas - porque tenho consciência que os problemas que tive na minha vida até hoje comparado aos problemas de outras pessoas não foi nada - mas esses ditos problemas fazem parte da vida e eles resolvem-se sem ser preciso a ajuda de um programa de televisão em que todos têm de ficar a saber dos problemas e a lamentarem-se por não poder ajudar, ou então, passa-lhes ao lado porque são uns insensíveis. Pois, porque não sei se já me fiz entender, mas não sou insensível, simplesmente acho que o objectivo de certas pessoas quando concorrem ao programa, é tudo menos alcançar o seu sonho. Ou de lutar por algo que os faz feliz relacionado com as oportunidades que o programa dá.
O que é certo é que este ano, os ídolos portugueses, esforçaram-se para mostrar que Portugal não fica nada atrás no que toca a talento. E o que disse para os americanos aplica-se aos portugueses : "...há gente mesmo boa neste programa! Mas gente que é melhor, ou muito melhor que muitos artistas que para aí andam a dar concertos." porque que isto faz sentido faz. E eu explico-vos porquê.
O André Cruz é um mimo. O miúdo transborda uma sorriso lindo, esta-se sempre a rir, toca guitarra e canta bem, e fascina-me! A começar por aqui - se ele ou alguém me aparecesse com aquele sorriso e com aquela guitarra e com aquela música, meu Deus... Ouve uma parte do programa em que ele me desiludiu sim, no rap, mas já percebamos que o rap não é o seu forte!;
A Inês Laranjeira, só me faz lembrar Lilly Allen e só isso me faz gostar logo dela. Entao quando ela canta..A miúda encanta-me com aquela voz! A começar por aqui , mas revendo este momento, e esta música linda.;
Depois o Salvador Sobral, bem ele canta mas canta bem. E depois a maneira de ser, não há palavras, é engraçado, pronto.E passei a gostar mesmo dele no vídeo anterior com a Inês, e quando foi a eliminatória do piano. Bem... Fantástico!;
Depois a minha Carolina Torres que é um doce. Tem uma voz que ponto é doce. Que começou assim.;
Além destes, só a minha T. é que sabe o quanto de boca aberta eu fiquei quando ouvi o menino Filipe Pinto, aqui. Miúdo, então tu vais para lá com esse vozeirão, que cantas tão bem que dás um gosto de se ouvir que é uma coisa doida, tocas guitarra e estavas à espera do quê? hum? Adorei!
Quem me surpreendeu e que eu ainda não tinha ouvido falar era a Solange Hilário, que me fez gostar dela aqui, mesmo.    
E por último, vou falar de alguém que já não é desconhecido a Mariline Hortigueira que tem mesmo jeito para a coisa! E pronto são estes, as minhas seis esperanças dos ídolos. Não quero desvalorizar ninguém, mas tenho um carinho especial pelos antecedentes referidos! Força meus queridos, vocês são os que têm mais talento para a coisa.
E já agora, o ídolos muda totalmente o aspcto de uma pessoa, digo isto, mas vocês de certeza que também já notaram que a aparência é um caracter importante.

os selos são uma coisa que...




.. ficam sempre bem num blog!
Seja porque o selo têm de ser atribuído a algum blog (e porque pronto, escolheu-se aquele), seja porque o blog é mesmo bom, seja porque somos todos amigos e todos merecemos um miminho de vez em quando, seja por uma destas razões, por todas ou por outras que não referi,.. Obrigada Mimi, nós agradecemos! (Eu & o meu Blog)

As regras são:
1) Seguir as regras;
2) Levar o selinho;
3) Identificar quem está, esteve ou estará no desafio e completar as frase:

Eu já... dei valor a quem não o merecia;
Eu nunca... viajei para fora do país;
Eu sei... que quando quero e quando me esforço chego onde quero;
Eu quero... que a guerra que reina o Afeganistão e o Kosovo, acabe;
Eu sonho... em alcançar os meus objectivos;

E porque há quem mereça, aqui vai:
Guia das Mulheres para Totós
Crónicas Rosa Cuequinha
Breathing Feelings
Não há desculpa sem culpa
Não estou a perceber!!!!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

agora sim, já estamos perto do natal!



Hoje entramos em Dezembro, não é ? Entramos bem, com um feriadozinho a uma terça feira (ufa, menos uma aula de português!), de hoje a 8 mais um feriadozinho (maravilha, 'lá vão duas...'), e depois as férias do Natal, o Natal e a Passagem de Ano! Depois com a chuva e com o frio, nada melhor do que ficar em casa no quentinho, que para pessoas como eu - que já estejam fartas de estar em casa - sabe bem dizer alguém para aparecer por cá, e ocupar o tempo com coisas tão agradáveis que juntos podemos fazer. Mas que sozinhos(as) também se podem fazer e que nos dá gosto fazer.
E aqui para mim que ninguém nos ouve, tal como eu sempre ouvi dizer que é no dia dos reis magos é que devemos tirar os enfeites de Natal, só hoje é que se deviam começar a meter. Porque não dá gosto nenhum a meio de Novembro já estar a gastar não sei quantos Kwatts de luz para iluminar a cidade com aquelas coisinhas bonitas que dá gosto de ver e que todos os anos é igual. Já para não falar no ambiente e no enjoo que provoca em pessoas como eu. E eu gosto muito da época natalícia, atenção!

feriados durante a semana

São bons para quem pode ficar em casa. Quando lhes apetece ter um daqueles dias chuvosos que só dá vontade é de me meter dentro daqueles lençóis às riscas e ler um livro, ou ver televisão, ou escrever no portátil, ou navegar pela internet para não dizer tantas outras coisas que sabem bem! Mas não.. Acordam-me às dez da manhã, com que questão de me chamarem à atenção que está na hora de acordar e de ingerir estudo para dentro da cabeça. Poupem-me! E detesto que me obriguem a fazer alguma coisa. Gosto muito de ser dona das minhas atitudes e de fazer as minhas tarefas quando me apetece. O importante é elas serem feitas e não cumprir a ordem. E para ser mais explicita, fazer as coisas pela ordem que quero e que acho que devem ser feitas. Se agora me apetece escrever, escrevo. E daqui a bocado vou estudar. Mas antes ainda tenho de almoçar! E é se depois não me deitar um bocadinho e ver um bocadinho de televisão ou de meter os phones e ouvir música, ou então de ligar a quem me apetecer, ou então de ir fazer companhia à minha mãe às compras, ou então de whatever. E então? Desde que não deixe as coisas para a última da hora, é na boinha, não é?
Estamos todos em casa menos o pai que com o atraso do trabalho teve que ir trabalhar hoje. Logo hoje! Que íamos todos almoçar fora para comemorar os anos dele já que fez anos ontem e que ontem não deu para comemorar. E como agora também não dá, pode ser que com um bocadinho de sorte logo à noite dê, mas sem exageros, porque amanhã não é só ele que têm de ir trabalhar, somos todos!
Mas o que cabia mesmo bem era um daqueles bolos de bolacha ou de chocolate, hummmm....!

não é defeito, é feitio #1



Mas existirá alguém que tenha o dom que eu tenho de deixar tudo para a última da hora? Ou alguém que faça isso melhor do que eu? DU-VI-DO.
Não falha. O que quer que seja, é sempre feito à última da hora! É o pequeno-almoço, é o duche, é as prendas, é o estudo, é as surpresas, é passar roupa, é carregar o telemóvel,.. E tantas mais coisas. Que dom, incrível!
Mas eu, ainda tenho esperança de conseguir parar de deixar certas coisas (as mais importantes) para a última da hora, a sério que sim, que tenho esperança. Há alguém que se ofereça para dar uma ajudinha? Ai em cima? Podia ser uma daquelas coisas que caem do céu, o que lhe parece? Dava uma grande ajudinha.

essa tua porta blindada



Tenho saudades de chegar a casa contigo e de cozinhar para ti. Sei que provavelmente tu não sentes saudades dos meus cozinhados, quanto muito do meu arroz, algo de que sempre me pude gabar, ou então que sempre pensei que podia mas que se calhar não posso. Lembro-me das nossas fantásticas horas de almoço e lembro-me de cada traço teu que com o passar do tempo foste riscando. Quando te conheci parecia que tinhas dentro de ti uma porta blindada que nem tu própria sabias onde tinhas metido a chave para deixar alguém entrar. E com o passar do tempo, juntas fomos forçando a fechadura até que conseguimos entrar. Ainda hoje me pergunto, se a chave não continua dentro dessa porta, se foi alguém que um dia também a conseguiu abrir e se esqueceu da chave lá dentro, impedindo que tão facilmente alguém conseguisse voltar a entrar. Mas esse alguém esqueceu-se que para uma chave existir, alguém a tem de fazer. E que para uma porta travar um caminho, alguém lá a tem de meter. Eu não sei quem foi que fez as duas coisas, mas sei que pelo menos consegui atravessar a porta. E apesar de não saber se sou eu que vou encontrar essa chave, quero ajudar-te a encontra-la. Porque aquela porta um dia também vai precisar que alguém a mude, e quando outra vier, não podes deixar que a chave se perca. Para só puderes deixar entrar quem queres, e para quem quer entrar (para ficar, não só para ver o que existe por detrás dessa porta) não tenha de arrombar a fechadura nem de persistir com a porta. Quem construiu essa porta dentro de ti, fez-lo por outros motivos. Mas hoje sei que se não fosse essa porta talvez hoje não eras quem és, e eu nunca tinha tentado arrombar essa porta. Não sei se foi a tua força de viver ou se foi a minha vontade de ficar, ou se não foram as duas coisas. E cada vez que olho para trás e me lembro dos abraços ausentes, das conversas longínquas e dos passos presos aos passado só me lembro de uma coisa: querer ficar. Porque acredites ou não a minha vontade de ficar sempre foi a mesma, e sempre quis marcar presença, e se o fiz, foi porque tu deixas-te, e se tu deixas-te foi porque tu também gostavas da minha presença. Sei que não fui eu que te dei forças para seres quem és, sei que foste tu própria, com a tua vida, que o decidis-te fazer. E espero que nunca te arrependas de o ter feito. Ao inicio ainda era tudo tão restringido, mas quando a fechadura dessa porta se cansou e se abriu, fiquei com certezas que não queria só ver o que estava dentro de ti, mas sim, ver quem tu tens dentro de ti. Mostras-te que és capaz de me abraçar quando consegues ver que esse gesto precisa de ser feito. Que és capaz de apesar da distância, não te esqueceres de mim. Por pouco tempo que agora não estamos juntos, sei que tu também te preocupas em aproveita-lo ao máximo. Seja comigo deitada numa cama, e tu ali sentada ao pé de mim; seja num estabelecimento público a comer crepes; seja no teu sofá a ver filmes; onde quer que seja sei que a confiança, o carinho, o riso e os sorrisos, os abraços e as brincadeiras, os desabafos e as conversas constroem a nossa amizade. Amizade que se talvez não fosse aquela porta, nem as tentativas de arrombar a fechadura, nem a força que tens dentro de ti não fazia hoje de ti uma pessoa tão importante para mim que marcou presença e continua a marcar presença na minha vida, como mais que uma companhia diária, com quem passar o tempo da minha vida. Não é que fosse tempo desperdiçado, porque já nessa altura aprendi muito contigo e tu própria já marcavas mais presença do que qualquer outra pessoa que apenas estivesse na minha vida para passar o tempo da minha vida. Hoje tenho a certeza que um dia essa porta vai precisar de ser mudada, mas que não pode deixar de existir, e espero que nessa altura me dês uma chave para eu poder entrar quando quiser, ou que guardes uma chave para me deixares entrar quando achares que é a altura ideal, e espero que essa porta não deixe existir, para me continuar a sentir presente na tua vida constantemente e para não deixares entrar e sair toda a gente que se limita a matar a curiosidade de saber o que existe dentro desse teu cantinho.

Para a minha T.
(que fez anos ontem)