domingo, 11 de outubro de 2009

vigésima oitava página





"Claro que para quem está de fora foi apenas mais um caso que não resultou. Mais um entre vários, ao qual se seguirão outros, numa sucessão interminável a que as pessoas que me são mais próximas já se habituaram.
Fui, ao longo dos anos, coleccionando namorados que à partida, pareciam perfeitos, mas que, por uma razão ou por outra, acabaram por se revelar insuportáveis, ou impossíveis, ou que, sem qualquer motivo aparente, se afastaram de mim (...)
Pelo meio fui tendo as minhas histórias. Poucas aventuras, apenas algumas ligações que chegaram a durar meses. Nunca fui de relações fugazes. Faz-me impressão ir para a cama com pessoas que só não conheço como o mais provável é que nunca venha a conhecer. Nunca percebi porque é que as pessoas se afastam depois de terem dormido juntas,não gosto de andar aos encontrões, nunca gostei."

Margarida Rebelo Pinto, Pessoas como nós

1 comentário:

Mário Duarte disse...

Eu sei que esse livro é para raparigas...mas é muito mau se me identificar com o que essa senhora disse? :S Há coisas que também não entendo...mas melhores dias virão...

Beijinho cabeça de andorinha