domingo, 18 de outubro de 2009

'tempo'



Estão a ver aquela parte do relacionamento em que se pede um tempo? Então e quando esse tempo é logo ao inicio? é uma tremenda confusão. Baralha as ideias. Se para mim, dar um tempo, por si, já é mau.. - Porque para mim dar um tempo é como se o sentimento se tivesse reduzido mas que para não cometer o erro tenta-se saber a certeza para acabar definitivamente com a relação - então ao inicio, significa simplesmente, que 'há amores assim, que nunca têm inicio, muito menos têm fim'. Simplesmente chegou a hora do fim.
Ao inicio ambos ficámos felizes por as coisas acontecerem assim do nada e por terem sido especiais. Depois ambos desejávamos que a nossa relação durasse. Depois ele não queria avançar, porque tinha medo (ou sabia) que as coisas não iam resultar. Depois ele era sincero (a maior qualidade dele, definitivamente), e dizia-me que não conseguia esquecer a ex o que foi um grande motivo para acabar comigo. Depois de me fazer acreditar que tudo era especial, que até eu era especial, que gostava de mim, e foi como se, da noite para o dia, mudasse de ideias. Lembro-me perfeitamente do dia em que a minha vida deixou de fazer sentido sem ele. E dos dias que ainda tentei dar a volta, e que ouvi o que não queria, mas que ele tinha de dizer.. Já que a sua sinceridade era mais forte que eu. Ao menos não pode dizer que não tentei. Sei que foi a primeira pessoa a quem eu consegui dar um tempo, o único rapaz que demonstrou ser muito mais do que parecia ser.
Sabem do que é que eu me admiro mais? É que depois de tanta relação que tive, e de tantos erros que cometi, sempre que há um bichinho novo tento mudar tudo o que no passado me fez perder as pessoas, porque estas não as quero perder.. E vejam só o que aconteceu? Este também o perdi. Só sei é que desta vez, a culpa não foi minha. Só queria voltar aos primeiros dias em que não conseguíamos viver sem o outro, em que tudo era especial, ás manhãs que ele passava aqui na rua para irmos juntos para a escola, as tardes que passávamos juntos a falar como se fossemos grandes amigos, grandes cúmplices, e que no meio da cumplicidade lá vinham os carinhos a que já me tinha habituado. Custa a crer que foi tão rápido. Já não há nada a fazer, agora já nem sei se acredito. Por isso é que 'um tempo' para mim nunca foi fácil de assentar no coração. Porque é como se sentíssemos assim uma dor que nos diz que algo vai correr mal. Tentaram-me meter na cabeça o contrário, mas eu sempre fiquei com a minha ideia. E foi isso que aconteceu. Além disso, o ex-'alguém' que tinha entrado na minha vida também não me saia da cabeça, mas eu estava cega por quem estava à minha frente, que o passado quase que se desfez. O que quer dizer, que em situações semelhantes, só o sentimento é diferente.

Sem comentários: