domingo, 25 de outubro de 2009

wishlist # 2,5



Este ainda é antes da oferta da minha madrinha e da minha compra.

wishlist #2



São os próximos que quero comprar. Entretanto a minha madrinha oferece-me os livros da Cecelia Ahern.

para espanto de tudo e de todos



"Pela primeira vez percebi que era muito melhor ter um amigo que me fizesse companhia do que um palerma para dar voltas" Margarida Rebelo Pinto - Pessoas como Nós

sábado, 24 de outubro de 2009

adoro miminhos para o meu blogue, a-do-ro!

Não é que este blogue mereça. porque ultimamente pouco ou nada tem escrito. Quanto a quem se responsabiliza por este espacinho tem sido um enorme falta de irresponsabilidade (para consigo mesma, e para as pessoas que ainda conseguem ler o que aqui é escrito) mas de facto, o blogue recebeu mais um selo!

Directamente da 'MIMI do blogue My Dance Flor para mim!

Desafios do selo:
-Escrever uma lista com 8 características suas;
-Convidar 8 blogueiros para receber o selo;
-Comentar o blogue de quem lhe deu o selo;
-Comentar o blogue de quem escolheu.

As minhas 8 características (ou 8 de tantas):
1. Sou esquisita. Sou e não é pouco. Ora estou bem-disposta a rir-me, a sorrir e para a brincadeira como não tarda muito estou com um mau humor insuportável ou estou triste.
2. Quando começo a escrever, é difícil parar. E há sempre coisas que se omitem, que ficam por dizer. Pelo menos é a sensação com que fico.
3. Tenho três sinais no lado esquerdo da minha face a fazer um triângulo.
4. Sou uma cabecinha-no-ar, como quem diz uma desconcentrada.
5. Quando estou numa livraria, ou num sitio onde estou rodeada de livros, para descobrir se é um livro que me agrade ou não, abro-o numa página qualquer e leio-o. Vou folheando ao calhas e lendo.. até descobrir se é um livro que tenha a haver comigo.
6. Por norma, tenho sempre o quarto desarrumado - mas há quem já se tenha habituado à desarrumação do quarto como já se habituaram a mim. O meu quarto não é nenhum estabelecimento público.
7. Quando estou triste/deprimida para não cometer nenhum erro, ou como coisas que fazem mal à saúde (ex.gorduras), ou arrumo a casa (mas não pensem que isto está arrumado porque no dia que isso acontecer... Meu Deus!) ou então vejo televisão enquanto deixo que o coração fale por mim em silêncio, com as suas lágrimas, tudo isto para não cometer nenhuma loucura.
8. Escrevo porque escrever alivia a alma.


Selo reencaminhado para:

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

ainda dizem que não há coincidências

Fiquei sem mensagens no dia de anos da minha melhor amiga. P**A que P*A*IU o tarifário. Se ela ficar chateada, a culpa é do Yorn Power Extravaganza e não minha por não me ter lembrado de carregar o telemóvel à precisamente.. 5 dias atrás! O mais irritante é as mensagens automáticas a dizer 'Por não teres saldo insuficiente (...)'
Aiquenervooooos!

Parabéns Melhor Amiga.
Feliz Aniversário.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

hoje sei que viras-te uma página da minha vida ao contrário



 Lembro-me de tudo. Por mais que te queira esquecer, não me sais da cabeça. Não é porque não quero (o que não significa que queira) mas é pela pessoa que te tornas-te para o meu mundo. Ao inicio as coisas são sempre muito bonitas, e lá anda uma ‘gosto de ti’ de trás para a frente, e vice-versa, como se uma pessoa não soubesse o que dizer, e deita isso cá para fora. Porque se calhar é o que sente. É o sentimento que a outra pessoa provoca em nós.
As coisas entre nós aconteceram de uma maneira diferente e especial, não porque as relações comecem todas da mesma maneira mas sim porque as pessoas são diferentes. Ou à primeira vista parecem ser.
Lembro-me dos anos anteriores em que olhava para ti simplesmente como um amigo, alguém eu preenchia o meu tempo, que me fazia companhia, e que por vezes lá me ouvia. E aquela tarde, anterior aquela noite foi como se, passado tanto tempo só naquele momento tivéssemos depositado confiança um no outro, porque ambos estávamos magoados com situações semelhantes. E para mim, de uma brincadeira amigável surgiu o pensamento que se calhar ficávamos bem juntos. E foi aí que parecendo que não eu me lembrei daquele beijo, aparentemente insignificante de à-não-sei-quanto-tempo-atrás. Mas isso saiu-me da cabeça, porque jamais me passaria olhar para ti de uma outra maneira. Até que estivemos juntos, e as nossas bocas voltaram a unir-se, porque sabíamos que se elas se voltassem a unir de maneira diferente, as coisas seriam diferentes. Ou pelo menos, eu, pensava. Porque para mim foram. E foi nessa noite que comecei a olhar para ti de uma maneira diferente. Olhei para ti como aquela pessoa que nos dá segurança, e que só a presença dessa pessoa faz com que a vida pareça mais simples. A maneira como as coisas foram acontecendo, sempre especiais e intensas, como se houvesse ali um grande amor, e havia...
Até que não as minhas, mas as tuas mágoas do passado, te começaram a preencher de dúvidas. Ao inicio ainda me senti culpada, porque pensei que a minha relação com o meu melhor amigo nos tivesse afectado, mas hoje vejo que o problema nunca esteve em mim, esteve sempre em ti.
Tu nunca querias que ninguém nos visse, muito menos a S., que parecendo que não, ocupava-te a cabeça mais do que eu ocupava os teus dias. E eu que anteriormente tinha o S. na cabeça consegui com que tu mo tirasses da cabeça. Boa! Agora ele saiu, mas tu ficas-te. Será que agora alguém vai conseguir-te tirar da minha cabeça? Será?
Mas eu sempre com esperança que as tuas dúvidas se fossem embora, porque acreditava que gostávamos um do outro da mesma maneira, que víamos as coisas da mesma maneira, e que ela já fazia parte do teu passado. Até que me começas-te a confundir a cabeça e eu decidi dar-te o teu espaço, para veres como eu estava aqui para ti. Para que pudesses ter as certezas que já a tinhas esquecido e que na tua cabeça, agora, era eu, e somente eu, que estava.
No dia em que tomei essa decisão, já os planos eram diferentes. Já não íamos almoçar juntos, e já me tinhas dito que tinhas acordado a pensar nela, e não em mim. Nessa altura, já não dizias que gostavas de mim, nem que eu era especial, e logo aí vi que as coisas já estavam diferentes. Até que não tive tempo, nem me deixas-te falar contigo, então entreguei-te a carta. Não percebo mesmo como é que não consegues esquecer uma pessoa que não gosta de ti e que te criou esperanças durante meses! Não percebo. E muito menos percebo, como deixas-te que as coisas entre nós fossem acontecendo. Por um lado acho que até percebo, porque agora também não te consigo esquecer mesmo sabendo que ela não tem importância para ti mas que também não gostas de mim, mas que as coisas acontecessem ou deixassem de acontecer por causa dos outros. Não me cabe na cabeça. Quando se gosta não há tempo para ligar ao que os outros dizem ou ao que pensam. Por isso quando disses-te que ainda não estavas preparado para que todo o mundo nos visse porque as coisas podiam dar mal, é porque já sabias que as coisas não iam durar muito tempo. E eu aqui, contigo no meu coração. Disse-te que nunca tinha feito nada assim por ninguém (não só porque para mim é tudo relativo) mas porque, possas.. gostava mesmo de ti! E tu, respondes-me assim...! Dás esperanças e dizes o que não quero ouvir, mas que tenho de aceitar. Porque a tua sinceridade ninguém te a rouba. Hoje, já olho para trás de maneira diferente, e já não acredito em ti nem no que dizes, apesar de gostar tanto de ti, sei que as coisas entre nós não vão ser as mesmas, porque para quem é tão sincero a ideia com que me fazes ficar sobre o que aconteceu, é que nunca olhas-te para mim, da mesma maneira que eu olhei para ti. Mas acontece não é? O amor não é olharmos um para o outro, é olharmos juntos na mesma direcção”.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

não posso escrever aqui sobre o aniversário da minha melhor amiga



Porque ela também tem um blogue!
Faltam três dias, cerca de umas 50 horas e ainda não sei para que lado me virar. Um gosto de ti, um adoro-te, um ou muitos presentes acho que não chega. Ela merece mais. Merece um mundo cheio de coisas boas, mas isso eu não lhe posso dar. Se já é difícil dar-lhe a melhor parte de mim (porque não sou perfeita) como é que lhe vou dar o mundo? Questiono-me antes sobre o que é que lhe vou dar? Para além dos beijinhos e dos abraços todos?
Vai uma ajudinha, pleaseeee? :)

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

'am I a fool to think that there's a little hope'

"Life is just a lonely highway
I'm out here on the open road
I'm old enough to see behind me
But young enough to feel my soul
I don't wanna lose you baby
And I don't wanna be alone
Don't wanna live my days without you
But for now I've got to be without you


I've got a pocket full of money
And pocket full of keys that have no bounds
But then I think of lovin'
And I just can't get you off of my mind


Babe can't you see
That this is killing me
I don't want to push you baby
And I don't want you to be told
It's just that I can't breathe without you
Feel like I'm gonna lose control"

http://www.youtube.com/watch?v=MTzkDgD4IMc

domingo, 18 de outubro de 2009

foi isso e comprar uns destes



Pretos, espelhados. LINDOS. E hoje, uma das coisinhas-de-lado-que-agora-não-me-lembro-como-se-chama, partir-se. Culpa minha que os levei para os carrinhos de choque e de quem lhes passou por cima!

grrr

Se soubesses o quanto me arrependo de te ter dado um tempo! Ao menos hoje, provavelmente ainda te tinha. Embora de uma falsa maneira. Mas mesmo assim, não sei o que é pior.

'tempo'



Estão a ver aquela parte do relacionamento em que se pede um tempo? Então e quando esse tempo é logo ao inicio? é uma tremenda confusão. Baralha as ideias. Se para mim, dar um tempo, por si, já é mau.. - Porque para mim dar um tempo é como se o sentimento se tivesse reduzido mas que para não cometer o erro tenta-se saber a certeza para acabar definitivamente com a relação - então ao inicio, significa simplesmente, que 'há amores assim, que nunca têm inicio, muito menos têm fim'. Simplesmente chegou a hora do fim.
Ao inicio ambos ficámos felizes por as coisas acontecerem assim do nada e por terem sido especiais. Depois ambos desejávamos que a nossa relação durasse. Depois ele não queria avançar, porque tinha medo (ou sabia) que as coisas não iam resultar. Depois ele era sincero (a maior qualidade dele, definitivamente), e dizia-me que não conseguia esquecer a ex o que foi um grande motivo para acabar comigo. Depois de me fazer acreditar que tudo era especial, que até eu era especial, que gostava de mim, e foi como se, da noite para o dia, mudasse de ideias. Lembro-me perfeitamente do dia em que a minha vida deixou de fazer sentido sem ele. E dos dias que ainda tentei dar a volta, e que ouvi o que não queria, mas que ele tinha de dizer.. Já que a sua sinceridade era mais forte que eu. Ao menos não pode dizer que não tentei. Sei que foi a primeira pessoa a quem eu consegui dar um tempo, o único rapaz que demonstrou ser muito mais do que parecia ser.
Sabem do que é que eu me admiro mais? É que depois de tanta relação que tive, e de tantos erros que cometi, sempre que há um bichinho novo tento mudar tudo o que no passado me fez perder as pessoas, porque estas não as quero perder.. E vejam só o que aconteceu? Este também o perdi. Só sei é que desta vez, a culpa não foi minha. Só queria voltar aos primeiros dias em que não conseguíamos viver sem o outro, em que tudo era especial, ás manhãs que ele passava aqui na rua para irmos juntos para a escola, as tardes que passávamos juntos a falar como se fossemos grandes amigos, grandes cúmplices, e que no meio da cumplicidade lá vinham os carinhos a que já me tinha habituado. Custa a crer que foi tão rápido. Já não há nada a fazer, agora já nem sei se acredito. Por isso é que 'um tempo' para mim nunca foi fácil de assentar no coração. Porque é como se sentíssemos assim uma dor que nos diz que algo vai correr mal. Tentaram-me meter na cabeça o contrário, mas eu sempre fiquei com a minha ideia. E foi isso que aconteceu. Além disso, o ex-'alguém' que tinha entrado na minha vida também não me saia da cabeça, mas eu estava cega por quem estava à minha frente, que o passado quase que se desfez. O que quer dizer, que em situações semelhantes, só o sentimento é diferente.

tudo se resume a isto


Sempre me deixei levar pelo mínimo gesto de carinho que me demonstrassem até ao ponto em que me apaixonei de vez. E como se não bastasse, o medo de o perder foi cada vez maior, que cada vez mais cedo perdi. quem não queria . Mas também nunca deixei de ir à descoberta, saber se era naquele carinho que encontrava o homem da minha vida  A verdade é que não se pode viver com eles e muito menos sem eles. Já construí tantos sonhos em cima de tantas pessoas, e depois pronto, os sonhos acabam sempre em pesadelos. Para além da experiência que fica, o vento não leva todo o sofrimento, o que nos faz querer voltar atrás. Eu se voltasse atrás, não ficava quieta. Não desejava que as coisas não acontecessem. Mas desejava que as coisas acontecessem doutra maneira.
As pessoas iludem e desiludem. Mas com o tempo habituas-te. Por mais que acredites, por mais que gostes, a tua experiência diz-te que tudo o que nasce morre, que com o tempo a espera torna-se cansativa, e o vento coopera com o tempo e leva o que é mais fácil de voar. Mas nem tudo voa. Há sempre uma parte que fica. Por mais que não dê certo, e que as pessoas não gostem de nós da mesma maneira, para mim vale sempre a pena tentar, por isso, se achar que é uma boa oportunidade, eu agarro-a. Nem que seja só pela experiência, já não é mau. É certo que no inicio do fim, custa. Mas o tempo sempre foi um bom tempero.

fiquem sabendo que..!



Não sou nenhuma galdéria.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

'what's the matter with you, man?'




"So pretty so smart
Such a waste of a young heart!
What a pity what a sham
What’s the matter with you, man?


Don’t you see it’s wrong can’t you get it right?
Out of mind and outta sight
Call on all your girls, don’t forget the boys
Put a lid on all that noise!


I’m a satellite heart lost in the dark
I’m spun out so far you stop, I start
But I’ll be true to you"

but honey why did you go..?



"Did I strangle you with my love?
Think I saw it wrapped around your throat
The last time I saw you, you looked so pale
And white just like a ghost


It was fine for about 5 little minutes
And then you cleared your throat
My eyes swelled up, I curled my toes
And you said I almost choked
And you said I almost choked


But honey why did you go
Behind the bunhouse?
Didn't you know how much I had to give?
You knocked me over the head
With a rolling pin
And then you got down and you kicked me in the ribs


The penny dropped even before I clocked
Just where your hands had been
It's like you'd done your hair for somebody else
Scared that you might have been seen


I slipped down a flight of stairs
And my face must have looked so long
Cos even the tosser with the saxophone
Was asking me what's wrong
He said "buddy, what is wrong?"


Honey why did you go
Behind the bunhouse?
Didn't you know how much I had to give?
You knocked me over the head
With a rolling pin
And then you got down and you kicked me in the ribs


Please won't you spare me the details
Before I get up and I go
Who was it that stabbed me in the back
Or do you think I ought not to know?


You see the way I was before we met
I was curled up in a shell
And if I'm not counting planes up in the sky
Then I'm falling down a well
I'm at the bottom of a well"

domingo, 11 de outubro de 2009

"Em vez de jogar pedras no passado...




...vamos aproveitar todas as pedras disponíveis para construir o futuro"

vigésima oitava página





"Claro que para quem está de fora foi apenas mais um caso que não resultou. Mais um entre vários, ao qual se seguirão outros, numa sucessão interminável a que as pessoas que me são mais próximas já se habituaram.
Fui, ao longo dos anos, coleccionando namorados que à partida, pareciam perfeitos, mas que, por uma razão ou por outra, acabaram por se revelar insuportáveis, ou impossíveis, ou que, sem qualquer motivo aparente, se afastaram de mim (...)
Pelo meio fui tendo as minhas histórias. Poucas aventuras, apenas algumas ligações que chegaram a durar meses. Nunca fui de relações fugazes. Faz-me impressão ir para a cama com pessoas que só não conheço como o mais provável é que nunca venha a conhecer. Nunca percebi porque é que as pessoas se afastam depois de terem dormido juntas,não gosto de andar aos encontrões, nunca gostei."

Margarida Rebelo Pinto, Pessoas como nós

"someday, somehow I'm gonna make it all right but not right now"



Não posso ficar parada à espera que me digas o que quero ouvir, nem quero ouvir as coisas da boca para fora, por isso, vou-te dar o teu espaço e viver a minha vida.
Se as pessoas não gostam de nós da mesma maneira que gostamos delas, o que havemos de fazer? Vamos ficar estátuas e parar na vida? Não!
Parava se tivesse a certeza que ias permanecer de certa maneira na minha vida, mas se nela vais continuar (de outra maneira) porque hei-de eu não seguir em frente com a minha vida?
Não vou usar ninguém para te esquecer, por dois motivos: não te quero esquecer e não gosto de usar as pessoas. As pessoas não são objectos, ao contrário do que possa parecer. As pessoas têm sentimentos. Uns mais fortes, outros mais fracos.
E eu só não quero perder a oportunidade de ser feliz, nem que seja por um tempo indefinido, nem de perder a oportunidade de descobrir se para além da experiência, existe algo mais que prove que valeu a pena.

sábado, 10 de outubro de 2009

"vamos em frente, e é esta a direcção!"




(Desde ontem para cá que não tiro esta música da cabeça - 'vão sem mim que eu vou lá ter')

nós não gostamos de todas as pessoas que mais gostamos da mesma maneira


 
Porque, nós não gostamos de todas as pessoas da mesma maneira. Gostamos mais de umas do que doutras. E dentro das que mais gostamos ainda há de quem se goste muito mais do que de quem se gosta muito. Por isso, quando se ouve dizer 'nunca senti isto por ninguém' 'gosto dela/de ti/dele como nunca gostei de ninguém' eu lembro-me sempre do que escrevi nas primeira linhas destes post, sempre. Para mim gostar de uma pessoa, de qualquer maneira, é muito relativo. (E não é só porque para mim tudo é muito relativo)

call me when you get this!



Não há espaço para tudo na vida, e disso não tenho a menor dúvida. A dúvida surge quando tens de escolher entre duas coisas, uma só. Entre duas pessoas, uma só. Quem diz 2, diz outra quantidade, mas sabes que no meio de n de coisas só podes escolher no máximo dos máximos metade desse n, e às vezes nem devíamos escolher tanto. Mais tarde apercebes-te porquê. Tal como nós estamos na vida, de passagem, as pessoas também estão de passagem na nossa vida. O importante são as escolhas.
Ás vezes escolhemos fazer as coisas à nossa maneira, sem dar ouvidos a quem tem uma palavra a dizer, sem pensar, e só quando essas escolhas têm consequências é que pensamos nestas coisinhas - tarde de mais. Não é o tempo do arrependimento, mas se calhar se tivéssemos correspondido a certas preces ou a escolha seria diferente, ou a maneira de viver com a nossa escolha seria outra. Não digo isto com a esperança que todas as melhores escolhas tragam o melhor, porque tudo tem altos e baixos. Mas de certo, que numa determinada escolha ou há mais altos do que baixos, ou o contrário. E somos mesmo nós quem decide isso. Também somos nós que decidimos quem queremos na nossa vida, independentemente do sofrimento que nos causem, ou dos sorrisos que nos provocam, temos que pôr na cabecinha que nada é perfeito. Haverá sempre tristezas e alegrias. Haverá sempre sorrisos e lágrimas. Haverá sempre sonhos e pesadelos. Mas sempre. Ilusões e desilusões então.. É preciso herrar, é preciso aprender, é preciso saber escutar, é preciso pensar, é preciso reflectir, há tanta coisa que é precisa. Ninguém nasce ensinado, mas estamos sempre a aprender.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

quando a Rosie...

diz isto, estou plenamente de acordo com ela. Um p**a da brinde!

ás vezes

é preciso dar um passo atrás, para depois dar dois para a frente!

O meu lado selvagem

"É dotado de um grande sentido de humor, é inteligente e astuto. É intelectualmente aguçado, completamente inventivo e rápido a agarrar oportunidades. De todos os animais, o macaco não é consequentemente nenhuma maravilha visto que deve ser ele que herdará a maioria da inteligência do homem assim como a sua capacidade de decisão. Tem um complexo de superioridade inato. Não tem respeito suficiente pelos outros. Pode ser extremamente egoísta, invejoso e vão. Há também uma raia ciumenta nele, todas as vezes que alguém alcança uma promoção ou algo que ele não tenha. É extremamente competidor, mas bom em esconder os sentimentos e em planear movimentos marginais. Na perseguição do dinheiro, sucesso no poder, o orgulhoso do macaco é imbatível. Os insultos, as acusações e as reprimendas dirigidas ao macaco provarão ser ineficaz. É simplesmente impensável para ele acreditar em todas aquelas coisas feias que você o chama. Não pode ser verdadeiro. Tem um retrato tão exacto dele próprio, dos seus talentos e da sua fortuna, que você só pode ser um louco ciumento ao fazer tais indicações ridículas sobre ele.."

Dúvidas? Estes quiz's do facebook têm muito que se lhe diga!

"amigos como sempre dúvidas daqui pra frente sobre os seus propósitos é difícil não questionar"


bhg





"You're the only one I wish I could forget
The only one I love to not forgive
And though you break my heart
You're the only one
And though there are times when I hate you
'Cuz I can't erase
The times that you hurt me
And put tears on my face
And even now when I hate you
It pains me to say
I know I'll be there
At the end of the day


I don't wanna be without you babe
I don't want a broken heart
Don't wanna take a breath without you babe
I don't wanna play that part
I know that I love you
But let me just say
I don't wanna love you
In no kinda way, no no
I don't want a broken heart
And I don't wanna play the broken-hearted girl
No, no, no broken-hearted girl
I'm no broken-hearted girl


There's something that I feel I need to say
Up'til now I've always been afraid
That you would never come around
And still I wanna put this out


You say you got the most respect for me
But sometimes I feel your not deserving of me
And still your in my heart
But you're the only one"

Broken-Hearted Girl

o post anterior

foi só para vos fazer inveja, e dizer que comprei o livro. E já agora que a imagem foi completamente digitalizada a partir da minha multi funções!

vou ali ler



Pessoas como nós, de Margarida Rebelo Pinto e JÁ volto.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

post #592

fim-de-semana aproveitado! Mas estudar? tá quieta!
Sexta - minutos nocturnos com as miúdas!
Sábado - tarde de passeio e noite com a S., a sua família e restante amigos,... FESTA!
Domingo -  8h da manhã de caminho para lisboa. Passear passear e passear. Conhecer o Dolce Vita Tejo (ou pelo menos metade), medir a tensão arterial (140, acho!), fazer o teste da glicémia (100 - uau sou um doce!) estar com o bébé mais fofy, aturar o puto mais velho, escutar membros familiares, viagens de carro, comer 'prego', ver televisão, esquecer algumas preocupações, ocupar a cabeça com distracções, aproveitar o meu instinto maternal instantâneo, dormir ainda menos,..
Segunda - arrumar mochila, fazer compras, ver coisas diferentes, superar medos, seguir em frente, apanhar o comboio e vir para a minha cidadezinha! Podia ter sido pior. Relativamente a muitos outros,e este não foi nada mal aproveitado! Viajar, viajar e viajar sozinha, fantástico!

e (não) foram felizes para sempre

porque a felicidade não é uma coisa eterna. Ás vezes surge de um momento prolonga-se por um tempo. Outras vezes vai e volta, mas nunca fica.
Tu também vies-te, e acabas-te por ir. Mas eu estou confiante que tu voltas, nem que seja uma ilusão, mas se foi possivel sonhar contigo e ter-te na realidade, porque não há-de ser possivel irmos mais longe?

but no, it's not over


(foi o vídeo mais razoável que consegui arranjar desta música)

"As days go by and fade to nights I still question why you left I wonder how it didn't work out but now you're gone and memories all I have for now but no it's not over
We'll get older we'll get over we'll live to see the day that I hope for come back to me I still believe that we'll get it right again we'll come back to life again
We won't say another goodbye again you'll live forever with me someday, someday we'll be together someday, someday we'll be togetherI heard someday might be today
Mysteries of destinies they are somehow and are someway for all we know they come tomorrow for today
My eyes are open my arms are raised for your embrace my hands are here to mend what is broken to feel again to walk on the face I believe there is more to life
Oh, I love you much more than life and still I believe I can change your mind revive what is dying inside and someday, someday we'll be together"

protesto!



Oh.. se gosto de pessoas que nos surpreendem, da melhor maneira claro! Pessoas cheias de coragem e carinho que se agarram ao luar e à estrada e percorrem um caminho para ver uns quantos sorrisos na pessoa 'surpreendida'. Gosto! É normal uma pessoa gostar de pequenos grandes gestos carinhosos não é? O que não é normal é encontrar pessoas assim, que nos surpreendam! Não é impossível, mas acontece. Eu conheci uma pessoa assim. Que me faz acreditar que há tanta coisa que é possível..!
Só há uma coisa que essa pessoa ainda não me conseguiu meter na cabeça... Porque é que depois de todo aquele caminho, de todo aquele momento, de toda aquela surpresa, de todas aquelas palavras, como é que é possível, no dia a seguir, acordar e chegar ao fim do dia, e saber que tudo o vento levou? Como? Uma coisa assim, é forte. Como e quem é que a quebra? É que se fosse simplesmente um sonho eu ia perceber, mas não.. Foi tudo tão real. Independentemente das decisões tomadas o mais importante é conseguir superar a desilusão-pós-ilusão e recomeçar, tentar esquecer uma coisa que não é fácil de esquecer.
E se vamos sempre à luta, à descoberta se vale ou não a pena lutar, por motivos e pessoas que no fim não merecem, porque é que não havemos de voltar a tentar, por outros motivos, por outras pessoas em que acreditamos? Eu acho que só por isso,vale a pena.
Protesto! Contra pessoas que os fazem felizes a maior parte do tempo e que depois pensam que é fácil saírem assim, da nossa vida (pelo menos de uma certa maneira), de um momento para o outro. Protesto, protesto e protesto!

completamente relacionado com a semana passada



Habituarmo-nos à vida não é uma coisa fácil. E, sinceramente, acho que devíamos ter uma manual de instruções, para sabermos viver. Mas hoje em dia o que não falta por aí são livros com teorias e filosofias baseadas em experiências de vida e que por mais incrível que pareça, verídicas.
O que se passa é que jamais me passou pela cabeça que fosse fácil viver, mas também nunca pensei que era difícil adaptarmo-nos conforme vamos crescendo (ou de outra maneira, envelhecendo). Pronto, e eu sou mais uma daquelas pessoas que em vez de escrever um livro escrevo no meu blogue sobre as minhas fantásticas teorias, filosofias, experiências de vida e pensamentos que ocupam a minha cabeça minuto-a-minuto. E por isso vejo aqui citar, que nós, humanos, maioritariamente nunca estamos contentes com nada, ou por outro lado estamos mal habituados... Porque cada vez há mais coisas que nos facilitam a vida, e nós para além de complicarmos as coisas, apanhamos com um sopro por não estarmos habituados, a pelo menos tentar lidar com a situação, e é por isso que a vida não é fácil. Porque cada vez damos menos valor ao que temos e não nos habituamos aos problemas da vida. Simplesmente, porque cada vez são menos. Em alguns casos, são menos, mas mais complicados.
Tanta palavra para dizer que sim, gosto muito da minha vida mas acho que podemos ir sempre mais além (portanto, nunca estou contente com nada) e depois vem a parte mais fácil, quando aparecem problemas, já olho para a vida de maneira diferente "ah é tão complicado.."... Não é que às vezes não existam mesmo problemas... Não existe é força.. força para seguir em frente! Se há gente que diariamente luta contra cancros e consegue porque é que eu não hei-de conseguir resolver os meus problemas com o mundo? hum? Isto muda. Eu um dia também escrevo sobre todas as minhas teorias, as minhas filosofias e por aí fora!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

se me pudesses ver agora

ias simplesmente.. perceber!