sábado, 12 de setembro de 2009

post #556

Meu Querido Blog, 
Já estamos juntos nesta viagem há algum tempo, e sabes que nem sempre o tempo está a nosso favor, por isso cada vez menos é o tempo que temos para aproveitar. E com a preguiça e o cansaço de um lado para o outro, para não falar do calor, e do meu feitio instável só hoje decidi vir aqui partilhar contigo e com todas as linhas que se vão acrescentando ao blog. 
O quanto eu precisava destas férias e o quanto não me custou aceitar a oportunidade de trabalhar no Verão. Se fosse hoje pensava melhor. Não estou a dizer que me arrependo. Eu não consigo estar parada. Se estiver parada durante muito tempo é como se me tivesse esquecido das coisas, como se tivesse estado tanto tempo a aprender para depois não tirar partido do que aprendi e esquecer. E isto foi dos primeiros motivos que me levou a dizer que sim, sem hesitações. Depois, porque sabia que oportunidades como aquela não chegavam daquela maneira a qualquer hora, e não a podia deixar escapar. Ou porque sabia que para além de poder usar os meus conhecimentos e a minha maneira de ser, podia tornar-me noutra pessoa e aprender mais coisas, por isso não foi tarde nem foi cedo! Já para não falar que para um primeiro emprego, foi como achar uma agulha num palheiro. É claro que isto não teve só as coisinhas bonitas e interessantes que acabei de escrever, consigo este trabalho deu-me a oportunidade de conhecer muitas pessoas e de saber lidar com metade delas. Há pessoas que pronto, de facto, não têm o mínimo de respeito. Quando eu ainda não trabalhava achava que as pessoas tinham de ser competentes e que se assim não fosse, não mereciam estar onde estavam. E isso foi uma das coisas que eu tentei ser, competente. Ser capaz de lidar com a maioria das situações, com a maioria das pessoas e estar a par do trabalho que estava a desenvolver. E se alguma vez me disserem que não estive à altura, não me podem dizer que não tentei. E muito menos que relativamente a outras pessoas, eu não estive à altura. Porque estive. Superei várias coisas e várias pessoas mas também tive as minhas quedas. Umas como se tivesse caído do céu sem para-quedas. No momento, não foram coisas boas, mas agora, "já passou". Foi uma experiência de vida, sem dúvida e disso eu tenho orgulho. 
Mas isto roubou-me o tempo que eu precisava para mim, para descansar, para recuperar, para me divertir, para ir de férias, para fazer aquelas viagens, para viver a minha vida, e isto fez-me muita falta. Achas que só esta semana de férias chegou para fazer isso tudo? Não não chegou, nem lá perto. Mas pronto temos que saber abdicar de certas coisas e fazer certas escolhas. Agora não há volta a dar e não me posso arrepender, porque sei que se estivesse de férias ou me ia cansar de andar de um lado para o outro, ou ia-me fartar de estar em casa sem fazer nada. Ao menos assim sempre fiz alguma coisa de útil para a sociedade, e para mim, principalmente! Isto é uma das coisas que tenho para te contar, e espero que ao longo dos dias vás lendo os meus pensamentos e vejas o que é a minha vida. Eu cá vou tentando aparecer para escrever mais um bocadinho e ler mais um bocadinho. As páginas que ficam para trás. Sim refiro-me aos blogues dos meus leitores e ás suas escritas, as suas linhas. 
Esta foi a minha primeira página de uma nova etapa, quem sabe. 

Sem comentários: