domingo, 23 de agosto de 2009

Fui e ficava. Ou então voltava.




Ah e tal, uma boa amiga dá-te a oportunidade de ficares com o trabalho dela, tu aceitas e tal e depois até te apercebes porque é que ela o fez. Porque queria ir de férias. Até aqui tudo bem. Depois de eu já ter aceite é que olhei para as coisas de outra maneira, pois... Não somos amigas? Não vamos de férias juntas? Com jeitinho, lá arranjei maneira de abalarmos juntas no sábado e eu voltar no domingo, enquanto que elas pronto, puderam e ficaram. Se bem que acampar não tem nada haver comigo, mas este ano valeu a pena. O ano passado tínhamos uma rolote onde passávamos a maioria do tempo quando estávamos no parque de campismo, mas eu não gostei do parque de campismo nem da vilazinha em si. Agora este ano, sim, independente de termos uma (mega!) tenda, tínhamos um bom parque de campismo, uma melhor praia, e um melhor sítio para sair à noite. Apesar dos arrufos, gostei tanto que não não ficava lá uma semana, mas voltava para lá de uma sexta a uma segunda. Foi no primeiro fim-de-semana depois de ter começado a trabalhar e soube-me se calhar bem melhor do que se tivesse férias. Não que o trabalho seja extremamente cansativo e árduo, ou o contrário, mas teve de facto, outro sabor. Todo aquele sol a bater no meu corpinho na praia, toda aquela gente que nem sabia onde se havia de meter, todo aquele susto a pensar que íamos apanhar um banho por causa da maré estar a subir, todos aqueles meninos todos bonitinhos, o ambiente de praia, o sol, o pôr-do-sol, a chegada de companhia, os jogos de cartas, as conversas, os estados alternados, os amuos, a tenda que para alguns devia ter livro de instruções (este já não está presente), o frio que eu senti dentro do meu saco de cama mesmo com duas sweets e umas calças de pijama de inverno, o abrigo do parque, a sombra do parque, a calma do parque, as pessoas do parque, os bungallows do parque, a piscina do parque (que eu vi e não meti lá os pés), a comida que só-faz-é-mal, o bacalhau no forno do domingo, as meninas, as fotografias, os momentos e a praia, a praia que estava linda que nem dava vontade de sair dali, mas que pronto. No domingo já estava na hora de vir para casa, porque no dia a seguir, EU ia trabalhar. É que nem eram os meus pais, era eu. Que injustiça! Este ano está muito fraco, no que toca a férias. Não foi mau, mas foram dois dias, meus amigos, dois dias! Mas obrigada a quem esteve presente, desde as meninas, aos papás, e aos meninos.
Quanto às fotografias, pronto é o que se vê. Quatro pessoas dentro do carro, em que três tiveram que levar coisas ao colo, porque já não sabia onde e que haveriam de meter.

1 comentário:

margarida disse...

S Pedro de Moel?

;)