segunda-feira, 24 de agosto de 2009

there's a she wolf in your closet!



"I've been devoting myself to you Monday to Monday and Friday to Friday
Not getting enough retirbution or decent incentives to keep me at it
I'm starting to feel just a little abused like a coffee machine in an office
So I'm gonna go somewhere closer to get me a lover and tell you all about it

There's a she wolf in the closet
Open up and set her free
There's a she wolf in your closet
Let it out so it can breathe"

As duas principais coisas que eu destesto no Verão:


pêlos e saudades. São duas coisas que me ocupam a cabeça a toda a hora.

O que me apetecia mesmo....


Pronto não minto. Mas o que sabia mesmo bem era praia. Pronto apetecia-me acabar, ou melhor, gozar bem as minhas (supostas) férias, pronto apetecia-me. Apetecia-me já não digo uma ou duas semanas seguidas, mas ficava feliz com uns quatro dias. Preciso de pelo menos quatro dias ao sol. Com saídas à noite. Com noites de verão. Com amigos. Pronto, apetece-me verão. Ou melhor, apetece-me férias de verão. Já não sei o que são férias de verão à algum tempo e este ano foi mais um que pronto passou assim a correr. Mas para o ano não vai ser assim, ai não vai não. E este ano ainda vou voltar à praia ou não me chamo eu Daniela!

domingo, 23 de agosto de 2009

agora, tenho de ir.

Mas fica prometido que amanhã, volto.

Não devemos fazer planos

muito menos a longo prazo. Por isso decido fazer objectivos. Para o ano, se não for juntando dinheiro durante o tempo de aulas (E se for,era mais um que entrava) vou arranjar trabalho mais cedo, vou fazer um intra-rail, vou ter muitas noites de verão, vou ter mais praia que este ano, vou ser mais sociável que este ano, vou fazer menos trombas, vou pi... para certa gente, vou descobrir muitos outros sítios, vou continuar a gostar da minha família e dos meus verdadeiros amigos. Isto são objectivos. E quanto aos objectivos, disseram-me que ás vezes se tornam preocupações, e para que deixem de o ser, temos de fazer uma lista em que de um lado metemos os que dependem principalmente de nós e do outro aqueles que sozinhos não conseguimos alcançar.

uma noite de verão



Diz-se que são os pormenores que fazem a diferença e é bem verdade. Alguma vez na minha vida pensei que um dia iria estar em casa de alguém, com certas pessoas a tocar viola e acordeão e a cantar? Nunca pensei. E nunca pensei vir a gostar tanto. É como se já sentisse que vocês fazem parte de mim. Meter as mãos no fogo por alguém é algo que não volto a fazer, e não o vou fazer mesmo, por mais ninguém. Mas não tenho problema nenhum em tratar-vos desde já por amigos. Obrigada principalmente a certa dedicação. E à música!

Depoisde tudo o que ainda tenho que escrever antes de morrer,

fica aqui prometido que um dia também escrevo um livro. Se é que não fizer uma colecção. Tenho tanta coisa para dizer que parece que não cabe nestas linhas. E não não é só falta de tempo.

Olha que se calhar...


começo a achar que não és assim tão chata,.. Lá dou um passo em frente sem olhar para o chão mas quando tropeço na calçada é que lá me lembro daquele discurso de apenas cinco minutos que tu disses-te! Bem me avisas-te, mas eu não.
Pareço uma menina que ainda precisa que a mãe venha por trás corrigir todos os erros, ou ver todos os passos, depois de me teres ensinado tão bem desde mais nova.
Ás vezes ambas não dizemos certas coisas por mal, é por cabeça quente, mas não tenho vergonha nenhuma em dizer que és minha mãe. Porque mesmo quando ninguém repara, lá vens tu querer dar-me o teu ombro e pedir-me para eu desabafar. Pronto, ás vezes não temos noção da mãe que temos, e é bem verdade. Obrigada

Fui e ficava. Ou então voltava.




Ah e tal, uma boa amiga dá-te a oportunidade de ficares com o trabalho dela, tu aceitas e tal e depois até te apercebes porque é que ela o fez. Porque queria ir de férias. Até aqui tudo bem. Depois de eu já ter aceite é que olhei para as coisas de outra maneira, pois... Não somos amigas? Não vamos de férias juntas? Com jeitinho, lá arranjei maneira de abalarmos juntas no sábado e eu voltar no domingo, enquanto que elas pronto, puderam e ficaram. Se bem que acampar não tem nada haver comigo, mas este ano valeu a pena. O ano passado tínhamos uma rolote onde passávamos a maioria do tempo quando estávamos no parque de campismo, mas eu não gostei do parque de campismo nem da vilazinha em si. Agora este ano, sim, independente de termos uma (mega!) tenda, tínhamos um bom parque de campismo, uma melhor praia, e um melhor sítio para sair à noite. Apesar dos arrufos, gostei tanto que não não ficava lá uma semana, mas voltava para lá de uma sexta a uma segunda. Foi no primeiro fim-de-semana depois de ter começado a trabalhar e soube-me se calhar bem melhor do que se tivesse férias. Não que o trabalho seja extremamente cansativo e árduo, ou o contrário, mas teve de facto, outro sabor. Todo aquele sol a bater no meu corpinho na praia, toda aquela gente que nem sabia onde se havia de meter, todo aquele susto a pensar que íamos apanhar um banho por causa da maré estar a subir, todos aqueles meninos todos bonitinhos, o ambiente de praia, o sol, o pôr-do-sol, a chegada de companhia, os jogos de cartas, as conversas, os estados alternados, os amuos, a tenda que para alguns devia ter livro de instruções (este já não está presente), o frio que eu senti dentro do meu saco de cama mesmo com duas sweets e umas calças de pijama de inverno, o abrigo do parque, a sombra do parque, a calma do parque, as pessoas do parque, os bungallows do parque, a piscina do parque (que eu vi e não meti lá os pés), a comida que só-faz-é-mal, o bacalhau no forno do domingo, as meninas, as fotografias, os momentos e a praia, a praia que estava linda que nem dava vontade de sair dali, mas que pronto. No domingo já estava na hora de vir para casa, porque no dia a seguir, EU ia trabalhar. É que nem eram os meus pais, era eu. Que injustiça! Este ano está muito fraco, no que toca a férias. Não foi mau, mas foram dois dias, meus amigos, dois dias! Mas obrigada a quem esteve presente, desde as meninas, aos papás, e aos meninos.
Quanto às fotografias, pronto é o que se vê. Quatro pessoas dentro do carro, em que três tiveram que levar coisas ao colo, porque já não sabia onde e que haveriam de meter.

I come back!


Depois de começar a trabalhar, de ir à praia ao fim-de-semana, de pequenas aventuras, de pormenores que marcam um dia diferente, de me sentir outra pessoa, de realmente ser outra pessoa, de conhecer outras pessoas, de tentar esquecer certas coisas, de tentar seguir em frente, das saudades que se fazem sentir, dos amuos, das chatices, do calor, do lugar desconhecido, dos sonhos, das estrelas, daquele pôr-do-sol, daquelas conversas com aquelas pessoas, de sentir saudades do blogue, de me aperceber o quanto já aprendi estas férias, de sentir vontade de correr meio mundo, de tudo e mais um bocadinho, descobri que duas semanas é mesmo uma eternidade sem vir ao blogue. Eu não sou a mesma se não escrever. Por isso, escrevo.
Se calhar só agora é que voltei porque só agora é que me sinto bem para voltar a escrever, ou então, porque se não escrever é capaz de me dar uma coisa má. Mas em último caso voltei pelos dois motivos.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

that's it.



Não não quero saber de mais nada, vou fazer as malas. Vou passar o fim de semana ali.Continuo a gostar muitinho de vocês apesar da minha ausência!

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Sabem.. tenho saudades de ler os vossos blogues pontualmente. Sinto-me perdida!

agora, sim já sei.


Se tinha dúvidas quanto às minhas férias, já sei o que vai ser feito delas. Se é que se pode chamar, férias.
Este ano seria o primeiro ano em que iria passar férias em familia, mas provavelmente isto não vai acontecer. Não, também não vou de férias c/ as minhas amigas/os. Não, também não decidi fazer nenhuma viagem sozinha. Simplesmente... decidi.. (leiam só) trabalhar! Recebi uma proposta de trabalho e após reflectir sobre o assunto decidi aceitar. Há coisas que temos de abdicar, segundo o que a minha mãe me disse. Portanto eu abdiquei desta parte das minhas férias para trabalhar. Para ganhar uns guitos e quem sabe investir nuns bons fins-de-semana, exactamente. De seg a sex trabalha-se no fim-de-semana viaja-se.
Inicialmente ainda tive a sorte te trabalhar com uma das minhas melhores amigas, mas chegou a vez de ela tirar as suas férias. E pronto é assim que andam as minhas férias.

P.S. Estou a escrever do meu local de trabalho

domingo, 2 de agosto de 2009

para entender bem o que é considerado pedofilia



uma pessoa é considerada pedófila quando:


"1. Por um período de ao menos seis meses, a pessoa possui intensa atração sexual, fantasias sexuais ou outros comportamentos de caráter sexual por pessoas menores de 12 anos de idade ou que ainda não tenham entrado na puberdade.

2. A pessoa decide por realizar seus desejos, seu comportamento é afetado por seus desejos, e/ou tais desejos causam estresse ou dificuldades intra e/ou interpessoais.

3. A pessoa possui mais do que 12 anos de idade e é no mínimo 5 anos mais velha do que a criança. Este critério não se aplica a indivíduos com 12-13 anos de idade ou mais, envolvidos em um relacionamento amoroso (namoro) com um indivíduo entre 17 e 20 anos de idade ou mais. Haja vista que nesta faixa etária sempre aconteceram e geralmente acontecem diversos relacionamentos entre adolescentes e adultos de idades diferentes. Namoro entre adolescentes e adultos não é considerado pedofilia por especialistas no assunto. (Exemplo: O namoro entre uma adolescente de 14 anos e um jovem de 18 anos)"

http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedofilia

Portanto acho que só é considerado pedofilia, quando uma pessoa que ainda não entrou na puberdade é "abusada" ou "usada" sexualmente por outra pessoa no mínimo cinco anos mais velha.