sábado, 18 de julho de 2009

tenho dito.


Meninos, é uma coisa fixe. Eles tiram tempo para nós, para nos abraçarem ou simplesmente nos ouvirem. O bem-estar deles depende de nós, como o nosso bem-estar depende deles. De vez em quando (para não ser sempre que possivel) lá existem planos. As idas ao cinema, os cinema em casa, os passeios, as surpresas, as conversas, arranjam sempre um bocado (grande) de tempo para nós, não porque têm de o fazer, mas sim porque o querem fazer. Não nos trocam mais pelos amigos mas também precisam deles. Como nós precisamos das nossas amigas para não nos sentirmos sufocadas. Ocupam-nos bastante o tempo como as flores, brilham , mas precisam de água. Os meninos também é assim. Precisam que tenhamos tempo para eles, que saibamos gostar deles (gostar não só das qualidades, mas também dos defeitos -porque afinal toda a gente os tem, incluindo nós mesmas), pode ser tudo muito bonito, muito apaixonante, mas para assim ser eles precisam da água, do nosso amor. Antes de querermos receber é importante aprender a dar, porque só assim as coisas evoluem. Não é dar para receber algo em troca. Mas sim dar porque queremos sentir e queremos que o nosso sentimento se faça sentir. É preciso saber partilhar e não tê-lo só para nós, mas especialmente para nós. Aguentar os ciúmes, dar-lhe espaço, para que além dos amigos, as amigas e a família também caiba, mas com a certeza que independentemente do tempo que estamos com eles o importante é maneira como o aproveitamos. Não precisamos que ele seja para o resto da vida, mas sim que esteja presente em grande parte da nossa vida. Porque sei, que tudo o que nasce morre.
Gajos. Uma cena bacana para passar o tempo e para nos darem dores de cabeça até dizer chega! Olhamos para eles como uns príncipes encantados até ao dia que abrimos os olhos. Dão desculpas, mentem, fazem-se a outras nas nossas costas, mas quando estão connosco não damos contas disso. E quando nos tentam abrir os olhos parece que ainda não queremos acordar do sonho. O pior é quando acordamos....Sentimos que de facto deviamos ter acordado mais cedo. Porque o tempo que eles tinham para nós não passava de promessas que nunca viriam a ser cumpridas, sentimentos que não eram sentidos e faziam de nós apenas um passatempo nas suas vidas. estes não tiram tempo para te levarem ao cinema, para estarem contigo de uma maneira especial, para te abraçarem, para te escutarem com vontade, a não ser nos primeiros encontros.
Gajos e meninos são pessoas totalmente diferentes. Aos primeiros, não chamamos pessoas, são uns autênticos animais, porque quando esfomeados são capaz de matar. Aos segundos chamamos pessoas porque pensamos que são pessoas normais, quando não são. São especiais.
Mas, quem vê realmente as diferenças, somos nós: ou não acordamos do sonho a tempo, ou então só nos lembramos que estávamos a sonhar, quando acordamos.

3 comentários:

Hermione disse...

uma coisa e o que idealizamos, outra é a realidade. se elas vao de encontro uma à outra, entao a felicidade existe. gostei do texto. beijinho

Daniela disse...

É bem verdade. Felizmente, depois de tantos gajos, agora encontrei um menino :)

**

Kikas disse...

que texto tão verídico, Dani!