segunda-feira, 27 de julho de 2009

digam-me que é para a próxima ter a certeza do que é que vou fazer

Histórias verídicas secantes & duvidosas.

Há uns tempos atrás, numa tarde, eu estava a combinar por mensagens com um amigo meu, a nossa ida para o ténis, e como é hábito costumamos estar sempre (ultimamente quase sempre juntos) antes de irmos para os treinos. E nesse dia eu estava em minha casa à espera dele porque estava a lanchar,.. Quando de repente alguém toca à campainha e eu pensei logo que fosse ele, porque sabia que ele não estava longe.. Então, abri.
(A partir daqui é DRAMA contem esta história a maiores de 6 anos com fortes tendências a ficarem sozinhos em casa)
Quando alguém bate à porta e eu abro, e supostamente, não estava ninguém no hall, mas supus que o meu amigo estivesse a subir, como habitual... Quando dou de caras com uma cara que não me era desconhecida e de uma senhora que se fazia acompanhar. Disseram-me que gostavam de saber a minha opinião sobre "Quem Governa o Mundo" e eu que estava na minha pausa de lanche, à espera que o meu amigo chegasse e com pressa de ir para o treino, disse-lhe exactamente isto. "Desculpe, mas estou a lanchar e estou com pressa porque tenho de ir para o treino" (Eu sabia que ela não sabia que eu tinha treino, mas pronto, disse.lhe a verdade).. E ela depois perguntou se então podia passar noutra altura, eu disse que não sabia quando é que dava.. E a jovem disse logo, insatisfeita com as minhas justificações que eu não estava "portanto, desinteressada", e também adivinhou. Por acaso, ao inicio da conversa apercebi-me logo disso e como estava mesmo a lanchar e com pressa tratei de lhe dizer isso e não que estava desinteressada, de modo que a cara dela demonstrou que eu deveria ser má pessoa. Se calhar até nem está enganada. E eu não tenho nada contra uma pessoa querer defender a sua religião e quê, tenho sim contra as pessoas que tentam "fazer" ou melhor "desfazer" a cabeça a outras. Não sei se era sobre religiões que isso se tratava, mas eu sou católica e não tenho nada contra judeus e outras religiões, acho que cada um deve defender aquilo em que acredita mas neste caso viver com isso consigo mesma ou com as pessoas que se assemelhem. Portanto, as coisas ficaram-se por aqui, mas nunca se abre a porta sem ver mesmo alguém, porque pode ser uma pessoas que nos pode vir a interromper e a atrasar momentos. Eu fico é na dúvida, se da próxima digo logo que não estou interessada em vez de dar justificações da minha vida de modo a que não possam ferir as outras pessoas.

Sem comentários: