terça-feira, 28 de julho de 2009

eu, simplesmente, ria-me!


Normalmente quando vamos a um café, a um restaurante, ou até mesmo a um bar, pedimos simplesmente "uma água". Porque não sabemos qual é a marca que vendem e porque naturalmente a água é toda igual (desde que não seja do esgoto e etc).
Mas se quando tivéssemos a pedir tivéssemos a oportunidade de escolher e a nossa preferência ia para a CARVALHELHOS! E eu que sempre que olhei para as garrafas e lia CARVALHEIROS! Só no outro dia quando estávamos na estação é que demos conta disto. CARVALHEIROS soava bem melhor aos ouvidos.
-Olhe é uma água CARVALHELHOS! Uma pessoa ao estar a dizer isto até parece que tem uma deficiência a falar (não pretendo atacar ninguém) ! E sinceramente, mete piada, pronto. Atenção porque também não tenho anda contra a água e afins!

Olhe é uma água CARVALHELHOS!

to make you feel my love


"A vida é uma tragédia quando vista de perto, mas uma comédia quando vista de longe. (Charlie Chaplin) Ou seja, estragamos muitas situações de grande potencial porque nos focamos no raio dos detalhes! Colamos o nariz à obra de arte em vez de nos afastarmos para apreciar toda a tela, toda a imagem e é bem verdade - que procuramos os defeitos e imperfeições para justificar a nossa própria necessidade de fuga. A raiz destas atitudes é sempre a mesma: o medo, neste caso, o medo de envolvimento, seja no que for, mas o mais vulgar e óbvio é o medo de envolvimentos, de compromissos com pessoas, o medo de sofrer, o medo da perda. Definitivamente, temos que aprender a amar. Então, não dê tanta importância aos detalhes que afinal não são assim tão relevantes, para além de que lhe tiram muita energia."

Só espero perceber isto tão bem como está explicado. E sim, o medo de envolvimento de sofrimento e da perda estão presentes.

"então e este ano vais de férias quando e para a onde?"

Pois. Férias. Eu estou de férias. Mas nem me apercebo bem do que é férias. Porque para mim férias é quando faço a mala e vou para a praia, ou vou de viagem até outro lugar qualquer. É isto que chamo férias. Mas não. Este ano não sei mesmo. O ano passado lá combinámos ir várias vezes para a praia todos juntos, fiz aqueles longos passeios para fora daqui, combinavam-se aquelas noites de verão... Mas este ano, ainda não combinei nada. E como nunca passei férias com o meu pai, a minha mãe diz que se calhar é este ano, se calhar. Se não for há uma coisa que eu sei que vou ter. É uma ou duas semanas em Lisboa, que sempre dá para ir à praia, estar com outras raízes da família, passear, passear e passear, matar saudades da Lisboa que eu tanto gosto. Portanto eu sou tão patética, que só para vocês verem, eu nem dou pelas minhas férias. Dou por mim é a dizer "Tssshh tão quase a acabar, falta um mês e piques!". Pois mas também não aproveito muito para sair daqui. Não sei se é do dinheiro, se é falta de companhia, se é medo de apanhar a gripe, se são ambas as coisas, não sei. Mas há alguém que queira ir de férias comigo? Hum? Anyone?
É que eu quinta feira vou sofrer mas depois quero ser compensada. Eu já aceito qualquer coisa, qualquer coisa.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

eu sou um BOCADINHO...


MIMADA!
Ultimamente tem-se chegado a esta conclusão. Não.. não faço birras. Sim fico triste por não poder levar tudo ao mesmo tempo. Devia.. devia dar valor a tudo o que tenho e não ao que gostava de ter. E a minha mãe diz que eu não mereço tudo o que tenho, porque não faço os máximos (dos mínimos) para merecer as coisas. Mas é uma coisa em que eu também já estou a trabalhar, ou melhor, a crescer. Mas sempre que faço compras Tenho fico a saber que me falta sempre alguma coisa. E em último recurso, dinheiro.
E depois gosto de ouvir o meu pai chamar-me "caquinho de mimo" e mesmo que isso queira dizer "mimada" eu não me importo. Porque para mim, é mesmo, mais um mimo. E depois (para certas coisas não parecerem conversas-da-xaxa-que-nos-deviam-fazer-pensar-mais-vezes) tenho que continuar a tentar dar mais valor à vida e aos pais que tenho. Obrigada :)

vale sempre a pena tentar (como a minha mãe sempre me disse)


Gosto de me aperceber que depois de algumas desilusões do passado, que para além de terem feito tentar com que valesse a pena, e por não terem dado resultado, aprendemos sempre mais uma coisa, que nos pode vir ajudar a valer a pena, num futuro.
Por isso, agora achei que valia a pena tentar, tentar por ti, por nós, mesmo omnipresentes... Mesmo apesar de dúvidas. Dúvidas que não me impedem de me mostrar o que sinto, de mostrar que estou disposta a alguma coisa... Mas que com as mesmas dúvidas, não estou disposta a tudo. E se digo isto, é porque sinto e enfrento o meu medo, mesmo ao dizer-te que gosto de ti.

digam-me que é para a próxima ter a certeza do que é que vou fazer

Histórias verídicas secantes & duvidosas.

Há uns tempos atrás, numa tarde, eu estava a combinar por mensagens com um amigo meu, a nossa ida para o ténis, e como é hábito costumamos estar sempre (ultimamente quase sempre juntos) antes de irmos para os treinos. E nesse dia eu estava em minha casa à espera dele porque estava a lanchar,.. Quando de repente alguém toca à campainha e eu pensei logo que fosse ele, porque sabia que ele não estava longe.. Então, abri.
(A partir daqui é DRAMA contem esta história a maiores de 6 anos com fortes tendências a ficarem sozinhos em casa)
Quando alguém bate à porta e eu abro, e supostamente, não estava ninguém no hall, mas supus que o meu amigo estivesse a subir, como habitual... Quando dou de caras com uma cara que não me era desconhecida e de uma senhora que se fazia acompanhar. Disseram-me que gostavam de saber a minha opinião sobre "Quem Governa o Mundo" e eu que estava na minha pausa de lanche, à espera que o meu amigo chegasse e com pressa de ir para o treino, disse-lhe exactamente isto. "Desculpe, mas estou a lanchar e estou com pressa porque tenho de ir para o treino" (Eu sabia que ela não sabia que eu tinha treino, mas pronto, disse.lhe a verdade).. E ela depois perguntou se então podia passar noutra altura, eu disse que não sabia quando é que dava.. E a jovem disse logo, insatisfeita com as minhas justificações que eu não estava "portanto, desinteressada", e também adivinhou. Por acaso, ao inicio da conversa apercebi-me logo disso e como estava mesmo a lanchar e com pressa tratei de lhe dizer isso e não que estava desinteressada, de modo que a cara dela demonstrou que eu deveria ser má pessoa. Se calhar até nem está enganada. E eu não tenho nada contra uma pessoa querer defender a sua religião e quê, tenho sim contra as pessoas que tentam "fazer" ou melhor "desfazer" a cabeça a outras. Não sei se era sobre religiões que isso se tratava, mas eu sou católica e não tenho nada contra judeus e outras religiões, acho que cada um deve defender aquilo em que acredita mas neste caso viver com isso consigo mesma ou com as pessoas que se assemelhem. Portanto, as coisas ficaram-se por aqui, mas nunca se abre a porta sem ver mesmo alguém, porque pode ser uma pessoas que nos pode vir a interromper e a atrasar momentos. Eu fico é na dúvida, se da próxima digo logo que não estou interessada em vez de dar justificações da minha vida de modo a que não possam ferir as outras pessoas.

coisas que me baralham a cabeça e o coração


Eu sei que tenho um grave problema com relações. Não me chamasse Daniela e não fosse do signo Gémeos (e agora para vocês, maluca).
Para além de achar "que tudo o que é de mais enjoa" tudo o que é a menos, o coração não sente.
Meus, detesto que queiram estar 24h sobre 24h em cima de mim, a dar-me em cima, sem me darem espaço para respirar. E isso cansa-me, farta-me e enjoa-me e muito tempo foi o que pôs fim a uns relacionamentos.
Mas, meus, quando falo 24h sobre 24h é quanto à presença, quanto a uma pessoa estar com a outra.. Não me refiro a outras coisas.
Uma coisa mesmo bacana (e difícil de encontrar) é alguém que queira estar connosco não um dia inteiro mas sim um minuto, uma hora, um curto espaço de tempo (e não me perguntem o que é um curto espaço de tempo sff... - é apenas tempo suficiente que depois faça sentir saudades e não que nos faça sentir vontade que aquele momento acabe), e que para além disso faz questão de ser sincero, quanto aos seus sentimentos e às suas opiniões, quanto ao que quer para si, e para um "nós" (se isso for uma coisa que conste na sua "lista"), que nos momentos em que não está presente não faz vários telefonemas seguidos no mesmo dia, mas que tenta fazer porque não um num dia... E que nos surpreende! Porque se sabe bem ouvir o outro lado também temos de aprender a ser o outro lado. Faço-me entender?
Se há pessoas que consideram outra pessoa especial, porque é que não estão dispostas a demonstrar isso, porquê?
Os sentimentos não são feitos só para se sentirem, são feitos para também serem partilhados. E se não fosse assim não "nos partilhávamos" com outro alguém! É ou não é? E se não há nada para partilhar... Simples.. Não se partilha.
Uma relação requer tempo, tempo para nós próprios, tempo para o "nós", requer sinceridade e carinho principalmente e quanto ao resto são ingredientes adicionais para uma relação saborosa. Para receber, é preciso saber dar. E não é um a dar o braço a torcer, mas sim os dois. Não estamos juntos na mesma viagem? É que para mim uma relação é quando uma coisa, ou uma pessoa está interligada com outra, quando algo as une. Mas isto é só o meu ponto de vista

sábado, 25 de julho de 2009

Depois dos caniches


chegou a Yorkshire, com dois meses! É tão fofa
imagem da minha autoria

sexta-feira, 24 de julho de 2009

now it makes sense!



"olha que é mais fácil apaixonares-te por alguém que não conheces, do que por alguém que conheces!" dito pela F.

Cá em casa...


Somos três mulheres, dois homens, duas cadelas, um cão, uma gata, cinco televisões, e dois computadores... "Se nós poderíamos viver sem a fibra da zon? Podíamos,.. mas não era a mesma coisa!"

Isto qualquer dia é um zoo, trazemos tudo o que é animal cá para casa! Como se não bastasse termos uma cadela um cão e uma gata hoje recebemos mais uma cadela. Não é que eu não goste dos animaizinhos, mas estas ideias da minha mãe dão comigo em doida! Já sei que vai sobrar para mim, no que toca a levá-los a passear, a por-lhes água e comida no caco. Quanto aos carinhos tudo bem!
Quem também não vai achar piada a isto são os homens cá de casa que não ligam ponta a animais, são insensíveis, portanto! O meu pai quando por aqui dá um pulo lá brinca com o cão porque eles os dois parecem uns autênticos cachopos inseparáveis às suas brincadeiras, mas o bom disto é que as brincadeiras dão para rir. Portanto como é de reparar somos uma família muito grande! Não poderíamos viver sem a zon porquê? Porque a internet e a televisão são duas coisas muito importantes no que toca a entretenimento em família, por isso é que estou aqui a escrever! Qualquer dia para dividir tarefas em vez de ser eu a fazer as tarefas domésticas pode ser que 3 seres humanos me queiram ajudar! Assim tenho a desculpa que já não sou a única que não trabalho!
No que toca a entretenimento é fantástico, vemos séries juntos e debatemos os assuntos actuais. Dançamos juntos. E vamos navegar na net todos juntos. Portanto, estamos sempre, todos on!

Vou-vos falar de "Havaianas"


Não caiam na tentação de visitar o site Havaianas, como eu caí se faz favor. Para além de ver as havaianas que eu queria (e as quais tentei especificar no post wishlist #1 "prefiro as primeiras (e se encontrar várias das primeiras em Portugal, mais concretamente aqui já me posso dar por feliz| Mas mesmo assim há umas parecidas com aquelas que em vez de serem todas pegadas tem um coisinho como as de baixo, sei perfeitamente que me entendem)."), e mais concretamente estas aqui , de me mostrar estas aqui que não deixam de ser bonitas fiquei a pensar porque raio não falam destas aqui? Meus são as três tão bonitas que uma pessoa só sabe quais escolher quando sabe o que é que há no seu país e não muito longe, de preferência! Já estive indecisa entre as primeiras e as terceiras mas como já sabia que a minha panca ia para as primeiras e que aqui esgotaram, e que a minha Sara foi para Cascais, lembrou-se, e trouxe-mas fiquei com as primeiras. E para o ano compro as terceiras que algo me diz que não foram inventadas no Brasil!
Mas falando de Havainas fiquei encantada com o porta-chaves. Raio, tão lindo como as sandálias! Este ano estou com uma grande panca por (coisas da) Havaianas!

e como uma coisa não vem só!


Finalmente posso-vos falar de um vestido que comprei! Não estava nas wishlist, mas mais uma vez, isto também está ligado à Sara. Se nós à uns dias atrás não tivéssemos passado por aquela loja e eu não me tivesse apaixonado pelo vestido e pela camisa e não tivesse comprado as duas coisas, no mesmo momento. Quanto à camisa é branca e linda, e quanto ao vestido, é totalmente diferente da onda dos meus vestidos e acho que foi por isso que me apaixonei por ele. É diferente. E acho-o super bonito!É para um casamento que vou ter dia um. E vão ver que ainda me vão confundir com a noiva. ahah
Pode não parecer na imagem mas só tem alça de um lado, que se ata com um laço, depois fica quase cai-cai do outro lado, não faz roda, mas faz quase, tem quatro botões, e é às riscas...Para além de ser bonito, teve que ser apertado e só hoje é que o voltei a ter. E receber duas coisinhas como estas num dia só faz-me sentir uma miúda bastante mimada.
O que é que vocês acham ? Ahm?

wishlist #1 concretizada!


Graças à minha SARA já tenho as minhas havaianas! Dá para acreditar não dá? Ela foi até Lisboa e quando estava em Cascais lembrou-se de me ligar para falar sobre o assunto. E escolhi as douradas. Tenho uma quase-cunhada super querida!
E chegaram mesmo na altura certa. (O que vale é que a mim acontece-me de tudo) Sim, porque agora tenho de andar sempre com os pés ao léu porque isto de usar ténis deu problemas. Eu nem ando muito tempo de ténis, mas se não foi por causa disto foi por causa dos bichos que haviam lá para os lados da minha outra casa. Porque estou toda mordida. Estas sandálias são tão bonitas e tão confortáveis :)

Atenção eu não fiz a wishlist com o objectivo de me oferecerem as coisas (além disso porque eu lhe vou dar o dinheiro das sandálias)!

Obrigada Sara pela atenção :)

fotografia da minha autoria | post wishlist #1

quinta-feira, 23 de julho de 2009

duas palavras: ME-DO


Estas duas palavras descrevem como começou a minha semana! Já alguma vez (o Oriente não conta) estiveram debaixo de uma linha de comboio, mais concretamente num túnel, um túnel paí com três metros de altura da linha de comboio, ahm já? Aconteceu-me. Estava no túnel e passa o alfa! Meus amigos, isto não é fácil, estar num túnel, e passar o alfa é pior do que trovoada! Quando foi o regional ou o inter-cidades, não se nota muito, mas o alfa é muita fruta, porque não pára! Foi uma sensação diferente. Ás vezes é preciso enfrentar os medos, mas eu não tinha medo disto porque nunca me tinha acontecido, mas desde que aconteceu que o tenho enfrentado. E até nem tem sido tarefa difícil.
Depois disto só mesmo estar na parte de cima à espera que o vosso regional chegue e passar o alfa. É cá uma aragem (para os dias de calor é capaz de dar jeito, digo eu), digamos que é mais assim, tipo, vento! Mas isto ao inicio mete me-do, parece o fim do mundo.

sábado, 18 de julho de 2009


Eles nem com um desenho entendem e nós nem com um cabrão estampado na testa!

Tom, isto não se aplica a ti. Foi mesmo sem intenção. Mas precisei desta tua imagem (por causa da testa!)

tenho dito.


Meninos, é uma coisa fixe. Eles tiram tempo para nós, para nos abraçarem ou simplesmente nos ouvirem. O bem-estar deles depende de nós, como o nosso bem-estar depende deles. De vez em quando (para não ser sempre que possivel) lá existem planos. As idas ao cinema, os cinema em casa, os passeios, as surpresas, as conversas, arranjam sempre um bocado (grande) de tempo para nós, não porque têm de o fazer, mas sim porque o querem fazer. Não nos trocam mais pelos amigos mas também precisam deles. Como nós precisamos das nossas amigas para não nos sentirmos sufocadas. Ocupam-nos bastante o tempo como as flores, brilham , mas precisam de água. Os meninos também é assim. Precisam que tenhamos tempo para eles, que saibamos gostar deles (gostar não só das qualidades, mas também dos defeitos -porque afinal toda a gente os tem, incluindo nós mesmas), pode ser tudo muito bonito, muito apaixonante, mas para assim ser eles precisam da água, do nosso amor. Antes de querermos receber é importante aprender a dar, porque só assim as coisas evoluem. Não é dar para receber algo em troca. Mas sim dar porque queremos sentir e queremos que o nosso sentimento se faça sentir. É preciso saber partilhar e não tê-lo só para nós, mas especialmente para nós. Aguentar os ciúmes, dar-lhe espaço, para que além dos amigos, as amigas e a família também caiba, mas com a certeza que independentemente do tempo que estamos com eles o importante é maneira como o aproveitamos. Não precisamos que ele seja para o resto da vida, mas sim que esteja presente em grande parte da nossa vida. Porque sei, que tudo o que nasce morre.
Gajos. Uma cena bacana para passar o tempo e para nos darem dores de cabeça até dizer chega! Olhamos para eles como uns príncipes encantados até ao dia que abrimos os olhos. Dão desculpas, mentem, fazem-se a outras nas nossas costas, mas quando estão connosco não damos contas disso. E quando nos tentam abrir os olhos parece que ainda não queremos acordar do sonho. O pior é quando acordamos....Sentimos que de facto deviamos ter acordado mais cedo. Porque o tempo que eles tinham para nós não passava de promessas que nunca viriam a ser cumpridas, sentimentos que não eram sentidos e faziam de nós apenas um passatempo nas suas vidas. estes não tiram tempo para te levarem ao cinema, para estarem contigo de uma maneira especial, para te abraçarem, para te escutarem com vontade, a não ser nos primeiros encontros.
Gajos e meninos são pessoas totalmente diferentes. Aos primeiros, não chamamos pessoas, são uns autênticos animais, porque quando esfomeados são capaz de matar. Aos segundos chamamos pessoas porque pensamos que são pessoas normais, quando não são. São especiais.
Mas, quem vê realmente as diferenças, somos nós: ou não acordamos do sonho a tempo, ou então só nos lembramos que estávamos a sonhar, quando acordamos.

Um dia, fui com a minha S. ao centro de saúde por causa de um atestado. Mas esse centro de saúde era numa localidade aqui ao lado. Chegámos lá ainda não eram 14h30m, fizemos a inscrição beca beca ela era a quarta pessoa. Mas eram 16.30 e ela ainda não estava atendida e já tinham entrado mais de seis pessoas, umas sem serem chamadas e tudo, para o médico que a ia atender! Eu farta de estar ali à espera, porque ia ter treino a seguir, porque não a chamavam e estavam pessoas a passar à frente, tinha ameaçado a Sara que se ela não fosse a próxima eu resolvia o assunto. (Quando ouviamos aquele som para chamar a atenção numa certa altura, levantamo-nos duas vezes e não a chamaram. Chamaram pessoas que não estavam presentes). Então eu assim na descontra e sem saber porquê (porque estava realmente fula com o médico) levantei-me e dirigi-me à secretária
-"Boa tarde. Será que podia dizer por que raio aquela rapariga ali era a quarta pessoa para o Doutor tal e entretanto já entraram mais de umas seis pessoas?!Ahm?"
-"Olhe eu não sei. Mas à bocado quando eu estava aqui a fazer inscrições sei que já estavam umas pessoas à sua frente"
-"Eu sei que já etsavam pessoas à frente dela, e também sei que ela era a quarta. E que têm estado a entrar e sair pessoas para o gabinete do médico. Será que pode ir lá lembrar o médico que ele ainda não a chamou?" -"Deixe-me só atender estas pessoas aqui" -"Mas vai falar com o médico ou não?" -"Vou, depois de atender estas pessoas!"
E passados nem uns 5 minutos a minha S. foi chamada!
Há cá com cada situação.. Mas como se isto não bastasse, ela no momento em que fez a inscrição, tinha deixado lá uns papeis de uns medicamentos para o médico passar umas receitas, o que é certo é que esses papeis desapareceram! Mas eu já estava farta de estar ali que nem falei mais. Mas sinceramente! Há pessoas que estão no desemprego com vontade de trabalhar e fazer as coisas como deve ser e outras que estão empregadas e não sabem, ou não têm competência para o fazer.

isto de estar de férias também cansa.



Está aqui uma pessoa (vamos supor eu!) com (pouca) mas alguma vontade para ajudar a sociedade, porque me inscrevi numas coisas para trabalhar e noutras para voluntariado (dentro da minha idade, claro. E perto de casa, também) e não recebi resposta nenhuma. Mas não faz mal, assim é que não faço mesmo nada,.. Mas não podem dizer que é por falta de vontade!
Depois, uma pessoa (desta vez, eu mesma) que tanto gosto de ténis e de perder calorias das duas uma: ou não ando a comer o suficiente para os treinos ou então aquilo cansa mesmo! Ainda disse ao T. "Ah se eu soubesse controlar melhor a respiração conseguia fazer melhor" e ele disse que "não é isso, é que cansa mesmo!" , mas sim eu ainda fiquei na dúvida.
Já para não falar que estou à três dias sem uma das minhas melhores amigas, e muito provavelmente só lhe meto a vista em cima daqui a 2 semanas ou daqui a 4 o que não me faz nada bem. Já fizemos umas videochamadas, vamos conectando, mas tê-la aqui era bem diferente. Se bem que a minha vida continua a mesma coisa, mas não é bem a mesma coisa, porque não a tenho comigo.
E para além de ser uma preguiçosa, e não ter feito rigorosamente nada (sair à rua? uma vez talvez a cada dois dias - e é porque ou a minha mãe me pede para lhe fazer isto e aquilo ou é porque surgem convites, porque de resto..? Está-se tão bem em casa!). Gosto muito do meu ténis, mas estou a aguardar que acabe o mês para ir de férias, e por isso mal posso esperar que o mês acabe! Mas já sei que vou sentir saudades do ténis, mas é só um mês!
Querem saber porque é que eu não saio de casa? Mas eu digo. Não é só por estar de férias.. Não (infelizmente) não tenho aqui um grande jardim com uma piscina para suportar o calor... não não é por causa do calor... não não é por falta de vontade.. Mas uma pessoa (como eu) sabe que se sair à rua, não volta com o dinheiro com que saiu. É triste eu sei, é outro defeito meu. Pronto. Isto nem sempre acontece, mas uma vez por semana lá tenho eu que arranjar motivos para gastar dinheiro. Lá me aparece aquela camisa linda e aquele vestido que eu não consegui resistir e pimba, comprei. E esta semana só saí na terça para estes efeitos. Ah e na segunda para o café. E perguntar-me-iam vocês porque é que eu não venho para aqui escrever, ou descobrem o porquê da minha ausência. Primeiro tenho estado agarrada ao portátil de uma forma bruta a jogar, que só visto! E depois, não se passa nada nem me surge assunto para escrever coisas minimamente interessantes, por isso ausento-me para em vez de vários, fazer só um post assim : sem sentido!
Eu acho que preciso é tirar férias das férias, estou muito cansada de não fazer nenhum! E de não ver ninguém , para além do agregado familiar!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

hoje é dia ... de festa!


Para variar todos os anos quando chega a este dia,(e porque Deus lá se lembrou de me dar o prazer de conhecer duas meninas que por "azar" fazem anos no mesmo dia) duas meninas que (supostamente) fazem parte do grupo das que nós consideramos as melhores amigas.
Habitualmente havia sempre um ou dois "este ano vais ao meu jantar que no ano passado foste ao dela" mas este ano isso já não foi problema. Sabem que às vezes, com o tempo, as amizades vão-se desfazendo, e olhem que não é pela distância, e entretanto as pessoas já não olham para nós da mesma maneira que olhavam à quatro anos atrás. Depois de ter ido a maioria das vezes à luta por uma amizade, cansei-me e vi que se calhar não valia a pena porque as pessoas já não olham para nós daquela maneira. Mas não é por aí que as deixamos para trás, nem que nos esquecemos delas, nem que elas deixam de fazer parte da nossa vida. Mas sim, as coisas já não são as mesmas!
Então este ano mesmo apesar da distância e com um bocado de amuos da minha parte, continuamos mais um ano juntas. Sempre para os cafés, as conversas, os sorrisos, os momentos menos bons, as coscuvilhices, as novidades, não da mesma maneira, mas se podem ver as coisas por aí, mas sim ver o esforço que as duas pessoas fazem para que a amizade ainda se mantenha. Sim estou a falara daquela minha amiga loira (que como loira e como morena ou como ruiva tem as suas paragens, poucas mas obrigatórias), que tem um corpinho invejável, que é muito boa pessoa, que é uma boa aluna, mas mais do que isso uma boa (para não dizer excelente, porque não há ninguém perfeito) amiga! Mas sim, para mim como aquela irmã mais velha, sempre conselheira, e que se encontra habitualmente à distância de um telefonema. Acho que cada vez mais, demoramos mais tempo a conhecer realmente as pessoas, porque depois de todos os momentinhos sinto que ainda não a conheço (digo isto porque quando ela está mais em baixo - só esteve assim pior uma vez - eu não fui suficiente amiga para a conseguir por bem, no entanto sei que consegui um bocadinho, devagarinho se vai ao longe)! Mas o que é certo é que dantes não gostava dela, porque ela namorava com um miúdo muito giro e esse miúdo não gostava do meu irmão porque ele andava atrás dela e passado um tempo eles acabaram e passado outro tempo eu e ele andámos! Mas hoje somos capazes de estar juntos na mesma mesa sem olhar para essas coisinhas, e isso torna-se bom. Apesar de os laços já terem sido mais fortes, outros se continuarem a fortalecer, é sinal que há sempre ali uma ligação amigável. E com ela tanta amizade, que às vezes gostava de a ter só para mim (como irmã, claro). Podia estar aqui assim, oh a falar imenso, de cada recordação, boa e menos boa, mas não preciso disso tudo só para dizer que gosto mesmo muitinho da minha F.! Porque é excusado (apesar de saber que ela não se ia importar, a não ser que este post fosse assim muitooo grande!)
Quanto à A. não há muito para dizer a não ser que mesmo apesar de termos sido colegas de mesa durante vários anos, de passarmos várias noites em minha e na casa dela, férias em minha casa, de ela estar lá quando eu precisei e de eu ter tentado estar cá quando ela precisou, foi muito bom e tenho sinceramente saudades dos laços que construímos, mas não podemos ter tudo na vida, e como estão sempre a entrar e a sair pessoas nas nossas vidas, por algum motivo é. Às vezes prefiro nem pensar porque é que isso acontece, porque isso já me deu dores de cabeça que chegassem. Temos as nossas escolhas e tudo bem, há sempre aqui um cantinho para cada pessoa, por cada motivo portanto não duvido que esse teu cantinho esteja sempre aqui.
Tanto a uma como a à outra desejo tudo o que merecem :)

acontece quando mais precisamos


Um dia, assim de repente, mal acabam de acordar sabem que têm a oportunidade de ir até outra cidade estar com outra pessoa (vamos, supor, um amigo). Nem têm tempo de tomar um duche, vestem assim das primeiras roupas que vos aparecem à frente (de modo a que vos façam parecer minimamente bonitas) e aí vão vocês encontrar-se com alguém enquanto a vossa mãe trata doutros assuntos dizendo-lhe que vão matar saudades de umas amigas. Troca de mensagens, no tal sítio, um "estou quase a chegar", ficam à espera e de repente, assim de repente, apercebem-se que o vosso telemóvel está a ficar sem bateria! Bonito. Para pessoas como eu que só sabem os números dos pais e do irmão de cor e é porque já têm o mesmo à uns anos, não sabem o das melhores amigas e muito menos dos amigos, também acho que sim, ficar sem bateria é muito bom mesmo! E depois, "o que é que eu faço agora? Vou ali à cabine, ligo para a minha mãe, digo-lhe que fiquei sem bateria, peço para ela ligar aquela amiga para aquela amiga ligar aquele amigo... Possas não posso sair daqui.. Se ele aparece, eu não tenho bateria e não há maneira de nos vermos" E ali fiquei eu. Sem bateria. É sempre assim, quando mais precisamos de falar com as pessoas é quando o nosso telemóvel se farta de nos aturar, então, o que decide fazer? Desligar-se. Por falta de bateria. Felizmente alguém apareceu e depois de lhe contar a situação disponibilizou-se para me ajudar - a pessoa de quem estava à espera. E depois da ajuda, veio a esplanada e o jardim!
Vou começar a andar com outro telemóvel dentro da mala (de preferência sempre carregado, para quando este se lembrar que está prestes a morrer o outro o substituir) !

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Os sexo masculino diz que não gosta de pêlos no sexo feminino


e então? Devem pensar que é fácil para nós, mulheres, vivermos com pêlos. E como se isto não bastasse ficamos ansiosas e com medo do dia em que nos vamos livrar deles! É que eles pensam que isto é quando queremos que agora queremos, temos e podemos fazer a depilação assim num estalar de dedos! Sim se formos ricos até podemos recorrer ao laser, mas mesmo assim não é uma coisa que fique pronta de um momento para o outro.
Já para não falar que para além de esperarmos que eles tenham um certo tamanho para os depilar, e da dor que sofremos no momento em que sentimos as bandas a agarrar à cera e a puxar assim de repente, temos que aceitar, que UMA semana depois (ou menos) olhemos ao pormenor para as pernas e já vemos lá ele a sair! É tão irritante. Depois vem outra vez aquela fase, em que temos de deixar crescer, para dp voltar a depilar para nos voltarmos a sentir sensuais! Para poder vestir uns calções, umas saias, possamos vestir uma langerie sexy para aquele dia, possamos ir à praia, à piscina...!
Na quinta-feira passada fui à esteticista e pronto ag ao pormenor já é um problema! Mas nesta última vez fui anestesiada! Eu já tenho complexos com as minhas pernas então quando vejo pêlos dá-me vontade de matar alguém! Sabe tão bem quando não temos pêlos em quase nenhum lado, mas tão bem... Mas os homens que só pensam em quanto feio é ter pêlos! Não pensam no quanto nós sofremos! E qualquer coisa eles é que são as vitimas, claro!
Tudo bem que nem todas fazem a depilação a cera e que não têm ou não querem sentir a dor que isto causa, mas uma depilação a cera, a máquina é muito melhor que gilletes e cremes. E eu sei do que falo. Depois da cera, só a máquina. E só mesmo em último recurso. Os efeitos são totalmente diferentes, não há comparação!

McDreamy do fim-de-semana


"Sabe que as namoradas têm que ser tratadas como umas princesas, o importante não é ter uma, é saber mantê-la"

Um rapaz chamado B. que diz isto à minha frente à minha avó pode ser classificado, por mim, e para mim como um McDreamy.
Sim como este aqui, é todo jeitoso e sempre o foi, desde novito - desde que o vi naquele filme de 1987 que cada vez concordo mais que ele seja um autêntico McDreamy.

Uma vez um rapaz usou a sua melhor amiga (que o considerava como o melhor amigo) para se sentir bem porque ele e a sua namorada estavam mal. Pior do que não esquecer um primeiro amor é sofrer com ele durante tantos anos.
Estúpida também foi a melhor amiga que se deixou levar pelas suas conversas (da tanga) , e ser ingénua ao ponto de lhe dizer que sentia a sua falta e que nunca tinha tido uma paixão como a deles, pensando que isso o fazia largar a sua namorada e correr para os braços dela, para no dia a seguir, depois de toda a conversa, depois do que se tivera passado, ela lhe perguntar porque é que ele tinha mudado da noite para o dia, e ele lhe responder que ele no dia anterior estava em baixo por causa da namorada, mas que nesse dia já tudo se tinha resolvido e que muita coisa tinha mudado.
A melhor amiga que gostou dele como ninguém jamais irá gostar,que lhe deu oportunidades, que foi ingénua a cada conversa que tinham, que deu os melhores conselhos, que esteve sempre lá, que acreditava que por mais estúpido que ele fosse, ele ia entender que era ela quem ele ia acabar sempre por escolher, que depois de toda a dor que lhe causou, depois de cada lágrima ainda esteve à altura para responder a cada conversar, para estar sempre ali e acreditar que sim, era mais uma tentativa, e que era dessa que ia dar certo. Acontece que depois de tanta coisa, as pessoas cansam-se.

Os ex's voltam sempre, voltam sempre. Outra rapariga sempre o disse e muitas outras acreditam. Porque é verdade. Ou vêm eles ter connosco, ou vamos nós ter com eles (às vezes feitas parvas depois de tudo o que eles lhe fizeram)

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Já ontem...


Para além de ter desfeito as malas do fim-de-semana, de ter arrumado o quarto e de ter sido surpreendida com uma visita, estive a ver filmes. Depois à noite vi um em especial, o Diário da Nossa Paixão que como seria de esperar (de mim) não resisti e tal como no Crepúsculo, sim vieram-me as lágrimas ao olhos!
Acho que não tem mal nenhum, é normal numa rapariga. Há umas que se emocionam como btt facilidade (como eu), outras que não é à mínima coisa (como a C., por exemplo) e depois outras que são umas insensíveis mas dessas nem vale a pena falar.
Mas quanto ao filme que é o que interessa... T. sei que vais ficar desapontada comigo, porque me ofereces-te o livro e pediste-me que o lesse antes de ver o filme (que por coincidência me emprestas-te) mas não resisti. Prometo que vou ler o livro, e espero me apaixonar tanto por ele como me apaixonei pelo filme. Sou capaz de o ver muitas mais vezes, porque é simplesmente.. LINDO!
Sem dúvida que se me pedissem para escolher entre o Crepúsculo e o Diário da Nossa Paixão, seria uma escolha muito difícil. São dois filmes, que.. me fascinam! E que me despertam uma grande vontade de os voltar a ver só de neles falar. São de facto, apaixonantes,... já tinha dito?

e a tarde se foi passando


Que me peçam para ficar com a pequena tudo bem, mas ligarem-me às nove e meia da manhã, é que não mesmo!
Foi assim que começou o meu dia. Não me importei de dizer que sim, e de voltar a dormir logo a seguir ao telefonema, entãooo... Depois desorganização total, isto da preguiça não é fácil. Cá me apareceu a pequena, depois do almoço! Que toda a gente sabe que gosto dos pequenos sim, mas agora o jeito que eu tenho só eu é que sei. Já dava por mim a perguntar à miúda o que é que ela queria para ela não ficar deprimida. Foi então que me lembrei do karaoke, da ida ao McDonald's para o gelado que acabou com um happy meal (mau para mim que não resisti e caí na tentação. Mas nesta altura ainda não me tinha pesado). Depois lá jogámos um UNO (coisa que me esqueci de referir no post do fim-de-semana - "joguei UNO com uma das minhas melhores amigas") ah, e foi nessa altura que hoje me encontrei com a C.! Já só nos riamos... Ali todos. Foi tão giro. Mesmo os comentários menos apropriados deram uma animação à tarde, e dp há coisas que não podemos (nem queremos) levar a sério ("És gorda!" - foi a pequena sim que mo disse, mas eu não me importei) e antes de se ir embora ainda lhe fiz uma trança, e durante a tarde ainda a deixei estar no computador e ir à net. Quem ficou contente deve ter sido a minha mãe! Não tenho por hábito ir passear os cães, isso é uma obrigação que cabe à minha mãe mas pronto, às vezes sobra para mim - como hoje - A pequena B. quis muito ir passear os cães e lá fomos nós. Ao inicio estava com medo que a miúda não gostasse da tarde como gosta de mim, mas no fim só de ouvir dizer "Eu peço à minha mãe para me deixar ficar mais um bocadinho" foi bom sinal :)
A pequena vai fazer 9 anos, este ano.

pára, tudo , noticia do dia..!


Emagreci 2 kg! Oh assim de surpresa. Sabe bem!

Também fiquei surpreendida com o que a S. me disse e agrada-me, não quero de todo ficar muito magra, nem perder cu, nem pernas, quero apenas perder barriga, sem exageros vou chegar a essa meta! Vou tentar seguir certos passos, e sem dúvida que não vou largar o meu ténis e outros desportos. A minha meta não está já ali ao virar da esquina, mas se for assim aos poucos-e-poucos sempre me vou sentindo um bocadinho melhor, e dizer ao meu irmão para ir dar uma volta :)

Qualquer coisa foi o ténis. E se cada vez desaparecerem mais porcarias cá de casa, daquelas que fazem mesmo mal, não me dá vontade de as devorar e sempre vou contribuindo para a minha saúde.

meu porto de abrigo


Regressei do meu fim-de-semana na segunda feira, mas só hoje é que me deu vontade para escrever! Sabem que isto de apanhar sol, estar na piscina, ir até ali, visitar a família, aturar os miúdos pequenos, ouvir elogios, receber mimos de tudo o que é gente, passar um fim-de-semana no meu "porto de abrigo", que é a minha outra casa, onde sei que só as moscas, ou outros bichinhos é que me poderiam chatear, é chato, e cansativo.
Já para não falar que como é numa aldeia se virmos um carro a passar, ou um vizinho nos incomodar, ou por algum motivo tivermos de chamar a policia, é grave, meus amigos... Já para não falar que é raro e que deve de acontecer uma vez de quantos em quantos anos.
Então neste fim-de-semana até havia festa e sabem como estas festas são! Para começar 90% das pessoas têm mais de 40 anos (para não as excluir, porque a maioria mesmo tem mais de 60-70, mas pronto), depois se em 10% de juventude se encontrar alguém minimamente decente podem considerar um milagre, mas isto da população não é nada, quanto me refiro a uma aldeia linda, que ao seu redor tem casas fantásticas, reconstruídas, vivendas, e paisagens que não ficam nada atrás. Foi lá sim que cresci, e por muito agradável que seja o silêncio e o sossego deixam-me sempre com saudades de lá voltar. Mas de facto eu não vivo sem um hipermercado, uma farmácia, um café, um bar, um multibanco, umas lojas por perto. E se tivesse carta as coisas poderiam ser diferentes, mas acontece que AINDA não tenho.
Há coisas que não posso deixar de referir... De sexta a segunda, dormi com uma das minhas melhores amigas, tomei pequeno-almoço com uma das minhas melhores amigas, fui à festa com uma das minhas melhores amigas, passei com uma das minhas melhores amigas, apresentei a maioria da minha família a uma das minhas melhores amigas, cuidei de dois amores lindos e pequeninos com uma das minhas melhores amigas, desfrutei da piscina com uma das minhas melhores amigas, ri-me com uma das minhas melhores amigas, dancei com uma das minhas melhores amigas, desfrutei de paisagens e casas fantásticas, adoráveis e desejáveis com uma das minhas melhores amigas, apanhei banhos de sol com uma das minhas melhores amigas, fiz caminhadas com uma das minhas melhores amigas, apresentei a aldeia que me acolheu durante anos a uma das minhas melhores amigas, falei de cada momento, de cada história, de cada recordação a uma das minhas melhores amigas, vi um ouriço-cacheiro com uma das minhas melhores amigas e com o meu pai, comi uma refeição preparada pelo meu pai (atenção, em tantos anos, uma coisa inédita) com uma das minhas melhores amigas, bebi vinho-do-porto com uma das minhas melhores amigas, apresentei as poucas pessoas decentes a uma das minhas melhores amigas, passei 4 dias seguidos com uma das minhas melhores amigas. Foi bom, foi diferente. Apesar de não ser longe deste mundo real sempre deu para parar um bocado no tempo. De facto, os meus pais foram uns queridos. O meu pai que pronto se preocupou com o nosso jantar no domingo à noite (e que fez um arroz- oh maravilha! Tão bom como a da filha, mas com gosto diferente - Era capaz de me habituar aquilo), à minha mamy e à minha vóvó que praticamente fizeram a maioria das refeições, outra vez ao meu pai que nos andou a passear por arredores de casa, e a todas as outras pessoas que nos receberam com muitos sorrisos!
Sou miúda para lá voltar, sozinha, e tirar as minhas férias de tudo o que é sitio e gente porque de facto lá há qualquer coisa que nenhum outro sitio tem, ou que eu me aperceba que tenha. É sossego, é o silêncio, é os pássaros a cantar, é a natureza, são as casas, a minha casa, o medo dos bichos (repteis, principalmente), o deitar na relva, tudo isso me traz paz interior (que profundo! - só para vocês perceberem o quanto isto é doce). É que gostei, dei bem pela diferença.
Quando decido ir para os confins do mundo é óbvio que mesmo sendo bom não me aguento lá muito tempo, levo o portátil, tenho a televisão mas o entretenimento não é a mesma coisa. De modo que não me aguento lá muito tempo consecutivo, mas aproveito sempre ao máximo.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

é hoje


é hoje que vou sair daqui. Vou de férias E logo neste fim-de-semana em que esta cidade recebe o festival do frango assado! Eu sei eu sei, vocês não iriam querer perder tal evento. Mas eu não vou poder comparecer. Tenho planos para os próximos dias e ainda não fiz a mala. Realmente eu não devo andar bem. Mas ela faz-se num instante! Vou-me ausentar do blog por uns dias e quem sabe se depois não partilho com vocês a minha ausência. Até lá, desejo-vos uma boa estadia na blogosfera

quinta-feira, 2 de julho de 2009

um conselho de amiga (ou de quem apanhou um p... da escaldão)


Não se esqueçam de pôr o máximo protector solar quando estiverem expostos ao sol. Se possível usem um de grande factor (pessoas branquinhas como eu, factor 50 - recomendado pela farmacêutica - mas ao longo do verão pode-se ir reduzindo). Convém abdicar deste amigo, porque parecendo que não os escaldões e as probabilidades de cancro da pele, voltaram, e em maior quantidade.
Não deixem que vos aconteça o que me aconteceu.

agora estou mais descansada


Já fiz a matricula. Já sei que para o ano vou ter que (começar e continuar) a estudar. Só isso faz com que esteja descansada durante as férias

quarta-feira, 1 de julho de 2009

aproxima-se


o nosso fim-de-semana. Não vou fazer expectativas mas, aposto que vai ser fantástico. De ida na sexta de regresso na segunda ou na terça! (Também) estou desejosa. "Nunca mais é sábado"

wishlist #1

Quero umas destas...
Ou então, umas destas...
Só que sejam parecidas já sorrio umas quantas vezes. Quanto às cores, pronto não tenho preferência mas se não houver nenhuma que me fascine talvez o preto ou o branco (porque ao menos dá contudo). Não precisam de ser da marca "Havaianas" (mas se forem também fico - mais - contente.). Tenho sim preferência no feito - prefiro as primeiras (e se encontrar várias das primeiras em Portugal, mais concretamente aqui já me posso dar por feliz| Mas mesmo assim há umas parecidas com aquelas que em vez de serem todas pegadas tem um coisinho como as de baixo, sei perfeitamente que me entendem).

partilhar ideias


A cidade onde eu actualmente estou a morar (Tomar) é uma cidade bastante bonita, cheia de cultura e história que convém sempre fazer uma breve paragem numa viagem pelo país. Para além dos bons alojamentos e da boa comida que oferecemos aos nossos turistas, as festas (principalmente a dos tabuleiros) entre outras coisinhas, acho que deviam investir muito mais na juventude. Hoje em dia, a maioria dos jovens que moram em Tomar, simplesmente fartam-se desta cidade, e recorrem a outras zonas de diversão nocturna fora da cidade. O que afasta cada vez mais os jovens. Eu acho que as pessoas pensam que zonas de diversão nocturna, aqui, só servem para beber (e para outras coisas, até), mas eu não acho. Eu acho que se investissem a 65% em zonas nocturnas (não digo uma avenida, mas um ou dois estabelecimentos - não vou falar das entradas - que realmente valessem a pena e) que atraíssem pessoas quem sabe se essas pessoas não fossem de fora e não ficassem interessados em conhecer esta cidade. Não é preciso quantidade, apenas qualidade. A sério pensem na minha sugestão. Eu falo por mim que noto que a maioria (incluindo eu) fugimos daqui porque não temos o que precisamos. Esta cidade é tão bonita e se conseguimos atrair turistas porque é que não incentivamos os habitantes a quererem estar cá e por cá ficarem?
Uma vez, a irmã de uma amiga minha comprou um carro que não coube na garagem. Tinha dois carros: o comercial e o familiar. O familiar que era o novo não coube na garagem, só por acaso é o que ela não usa todos os dias, é só para os fins-de-semana.
Um dia, a minha amiga (e a irmã) ainda devem pensar que eu estou a gozar com elas com este post, mas há coisas engraçadas que podemos (e devemos) partilhar com os outros. Nem que seja para lhes mostrar que em certas vidas acontece algo divertido, algo diferente, fora do vulgar que ainda dá para dar umas gargalhadas e dar um sabor diferente à vida. Se fosse tudo perfeito também não metia piada, pois não?

it's done.


Fiquei contente de ver nas pautas "TRANSITA". E óbvio, que gostava de ter tido melhores resultados, mas pronto. Está feito. Amanhã de manhã cedo (para mim lá para as 11), matriculas.
E como uma boa novidade não vem só, para as pessoas que sabiam (e para as que não sabem) o meu "hipotiroidismo" recuperou, ou melhor agora não estou com problemas, mas convém tentar manter tais níveis (o que significa que vou continuar a medicação) .
Querem saber o que é estupidez? Para além de estar duas horas à espera para ir à consulta com o médico de família para mostrar análises, esqueci-me de lhe falar das queimaduras. isto só comigo! "É porque não te doía" dizia a minha mãe. Naquela altura até me tinha esquecido!
Mais umas doses para o sangue, provavelmente vou tomar destas para o resto da minha vida, mas tenho que pensar positivo (há doenças piores, e pessoas em pior estado) e ao menos para isto ainda há um tratamento e não me impede (de todo) viver a minha juventude! Ao menos isso.

Hoje de manhã levantei-me cedo (10.30 - porque estou de férias e chego ao ponto de andar toda desorganizada, já nem sei ao certo quando é que é segunda, ou sexta. Mas vir até aqui até ajuda) e fui ao cabeleireiro. Como é óbvio cortaram-se umas pontas e pedi que a cabeleireira me fizesse tão desejada e cobiçada trança francesa. Ficou muito bonitinha. Continuo à espera do dia em que arranjo paciência para fazer uma a mim própria. Não tem sido fácil, nem com as dicas da cabeleireira nem com as ajudas da Internet

Se usei esta túnica, ou esta camisola (chamem-lhe o que quiserem, mas vos garanto que é roupa) umas cinco vezes foi muito. Sempre gostei muito dela, tem umas cores fantásticas, é toda bonitinha, e lembro-me que naquele dia em 2007 em que a vi apaixonei-me por ela que foi uma coisa incrível. E com um "preço especial" (o que os marroquinos fazem para toda a gente) não resisti e trouxe-a para casa. E hoje depois do treino lá fui a um café com as meninas e como cheguei a casa num "toca a despachar" só mudei a t.shirt e vesti isto. Calça, ténis, e aí fui eu ter com elas. Realmente eu tenho a mania da perseguição, ou então não... Chamemos-lhe antes, o desconforto... Como não estou habituada a sair assim para a rua, com esta camisola, tive muitos preconceitos e senti que as pessoas estavam de olho em mim... Mas chegou a um ponto em que me estava completamente nas tintas.. Para além disto, felizmente as marcas negras do meu braço (só quem tem acompanhado o blog é que está a par) finalmente desapareceram. Infelizmente o meu escaldão de sábado piorou e vocês não têm noção do ponto em que isto vai. Mas já tive mais medo (já pensava em cancro da pele e tudo - realmente sou muito maluquita o que se há-de fazer!) ... Mas os meus ombros neste momento estão num ponto em que parece que a pele estalou, estão-se a criar bolhas! E isto não é a fase antes de cair na pele, porque isto não aconteceu na cara. Desta vez decidi não tirar fotos porque acho que os meus leitores já devem estar traumatizados com cada drama que me tem acontecido, então para salvar a vossa saúde, (desta vez!) não não foi publicar. Mas posso-vos dizer que quando se passa com a mão no ombro é como se tivessem a passar com a mão numa parede (não daquelas lisas, mas daquelas que têm uns piquinhos!), pronto. Mas em troca de isto hoje tive com aquelas duas como já não estávamos à muito tempo, aquelas gargalhadas, conversas sobre história e culturas, disparates em pleno estabelecimento público (cheguei mesmo a engasgar-me) , e todas aquelas coisinhas daquele momento. Depois ainda dei uma escapadela até lá a baixo para dar um beijinho às outras meninas e depois regressei "à toca"! No meio disto houve um episódio que me passou da cabeça que se estas coisas se voltarem a repetir, não respondo por mim. (As minhas amigas acham-me muito agressiva - meto medo ao susto, não imaginam).

Só agora é que me lembrei de partilhar esta imagem. Isto não foi propositado! Aconteceu mesmo. Eu e umas das minhas meninas, demos (fui mais eu que reparei claro!Não pensem coisas.. Eu simplesmente noto alguns pormenores...) mas pronto de facto há gente mesmo desenvergonhada! Eu sei eu sei, que já viram piores vergonhas. As montras têm muito disto, e até pior. Mas se fosse uma pessoa em carne e osso assim no meio da rua, já era crime! Eram logo punidos!

Mário, esta tem o tamanho certo? Bem jeitosa ahm?