terça-feira, 23 de junho de 2009


Uma vez perguntei à minha mãe, porque é que ela conhece tanta gente e dá-se com tanta gente e quando lhe digo para ela ir sair com as amigas ela diz que tem poucas amigas.. E ela uma vez lá me respondeu, dizendo que enquanto somos novas o mundo é um jardim de rosas mas depois quando crescemos as rosas só têm é espinhos. E que ao longo da minha vida eu ia descobrir que nem todas as amizades duram para sempre. Acham infeliz a minha mãe ter poucas amigas? mesmo apesar de ela se dar com toda a gente? Eu não. Acho infeliz sim mulheres que não mostram o que são. E que lá por que casam, ou têm filhos não arranjam tempo para mais nada. A não ser para a família e para o trabalho. Isso não é infeliz. O que é infeliz é não ter tempo para dar uma escapadela de meninas e ir a um cinema ou a um café. Ir a casa da fulana A ou da fulana C, conversar ou divertir. Não é por serem mulheres que o mundo acabe. Temos que aproveitar a vida, e é mesmo por ela às vezes ser cansativa que são precisas amigas. E quando a minha mãe uma vez disse que eu era a melhor amiga dela, não sabem o quanto eu gostei de ouvir e o quanto fiquei triste com tal coisa. Ela merece mais do que eu lhe dou. Depois de todas as mudanças na nossa vida, depois de todos o que construímos, isto não pode andar assim. Gostava sim, de a ver como as amigas da minha idade. Mas é óbvio que não consigo. Mas consigo fazê-la rir quando sei que é o que ela precisa, e dou-lhe um abraço quando noto que ela está triste. Porque sei que se eu vier com cara de quem teve um mau dia e me enfie no quarto, ela é a única ou a primeira que repara e me vem dar uns mimos. Mesmo que eu seja parva ao ponto de os recusar! Às vezes não damos valor ao quanto é bom termos mãe, termos pai, termos casa, termos a vida que temos e isso faz com que nós não demos valor à vida. Mas nos momentos em que lhe damos valor, não é pouco. Mas não era da minha mãe que eu queria mesmo falar... Parecendo que não, era mais das minhas meninas! Que pela maior estúpida felicidade por vezes ultrapassem a família. Penso que enquanto somos novos damos mais valor aos amigos do que à família mas também espero que isso mude com a idade, e o mais rápido. Não é que os amigos sejam uma coisa péssima, mas é um mau hábito. Porque não são eles que trabalham para nos darem uma casa, para nos darem comer, para nos darem as coisas que mais necessitamos.. São os nossos pais, a nossa família. Os amigos sim são as segundas pessoas a quem devemos correr, não para nos dar apoio material, mas sim para apoio moral. Não é que os pais não tenham essa função. Mas a opinião "de fora da família" é completamente diferente. Mas decidi agora que depois de ter feito vários posts para as meninas dedico este apenas à minha família. Por que sei que um certo dia irá chegar..

2 comentários:

Mário Duarte disse...

Ora vês que bonito...Eu adoro a minha mãe e sei bem que ela dá muito mais dela por mim do que alguma vez irei dar de mim por ela...

Só espero ser tão bom pai como ela é boa mãe para mim...

Quanto às amizades,é preciso muito trabalhinho para as manter ao longo da vida porque chega a uma altura que cada um segue o seu caminho...mas se a amizade é verdadeira não custa nadinha...

Daisy Maria disse...

para ser sincera? fizeste-me chorar :'|