quarta-feira, 10 de junho de 2009

e no domingo..


foi dia de baptizado. É verdade... Tirando a parte que a minha só me disse que íamos ter um baptizado no dia seguinte umas 15horas, tudo bem. E a parte em que estávamos com dúvidas se era às nove ou às onze e meia, e chegámos um bocadinho atrasadas.. Valeu a pena. Não é que eu tivesse muita vontade de ir, mas como afilhada e prima do 2º filho da minha madrinha, tinha que marcar presença. O que desmotivava mais é que era no local onde tinha sido o meu baptizado no mesmo dia em que os meus padrinhos se casaram! Bem, mas depois disto... Foi sim de facto muito bonitinho! Já não via o pequeno gabriel à uns mesitos (e está cada vez mais lindo! só espero é que quando crescer, apesar de o irmão também ser bonito não seja irrequieto e chato como ele). Houve pequenos reencontros. E novidades. O almoço foi numa quinta onde eu já tinha estado. Mas desde a última vez que eu lá estive aquilo evoluiu de uma maneira... Quando lá cheguei fiquei um quarto de hora agarrada às gazelas, é que não as largava. Fiz-lhes tantas festinhas. Que bichinhos tão adoráveis! Depois tive foi de lavar as mãos umas 500 vezes, que para além de cheirarem mal estavam mais castanhas que o castanho. Depois vi os burros (para além do Diogo e de uns quantos que lá andavam no baptizado, estava lá de facto, um burro e uma burra numa cerca. Isto para começar. Depois vi 3 filas de sei lá quantos painéis solares (no fim fiquei a saber que eram 5000, e não estou a mentir, ao que parece o dono até vende electricidade à edp). Ainda de manhã e a descobrir a quinta fomos dar um pequeno passeio, quando um Sr muito simpático (o dono da quinta, e por incrível que pareça, senhor rico como é, não é maniento como muitos são. Não se julga dono do mundo, e sim do que é seu - como as carros, os barcos, aquela enorme quinta....) nos perguntou se eu e as pessoas que estavam comigo queriam que ele atrelasse o atrelado e nos levasse a passear pela quinta. Era suposto ser só eu e as 3 pessoas que estavam comigo, mas umas que nos avistavam ao longe ficaram ciumentas e correram para se juntar. Lugares sobre lotados aí vamos nós. Não é muito difícil, mas a quinta era maior que o jardim zoológico. Para além dos não sei quantos metros quadrados de painéis solares, tinha não sei quantos metros quadrados de vinha, e de oliveiras mesmo bem tratadas. Mais uns quantos metros divididos pela quinta com javalis, vacas, bois, galinhas, cavalos, patos, coelhos (que andavam por lá a solta), porcos, mais burros (como o shrek e o jardel) e sei lá mais o quê. Aquilo era mesmo grande. Ainda tinha um grande jardim, uns quantos anexos (dos quais um que já foi uma cavalariça à não sei quantos anos era a nossa sala) e por aí fora. Que poderei eu dizer eu deste baptizado? Se todos fossem como este, não me importava nada de ter mais gente na família. O meu pai não achou foi piada a quem lhe fez uns estragos no carro, mas isso são pormenores... Tenho pena de não ter lá voltado à noite!


Gostei mesmo.

Sem comentários: