terça-feira, 26 de maio de 2009

quem és tu? sou tu


Às vezes gostava de conseguir ser eu a multiplicar. Conseguir pegar em mim e por-me a olhar para mim. Para me ver como os outros me vêm. Não há ninguém que não se conheça a si próprio como mais ninguém a não sermos nós próprios. Mas só os outros é que conseguem ver aquilo que fazemos com que eles vejam. Nós estamos longe de mostrar-mos ser quem somos. Somos nós mesmos para nós próprios e somos outra pessoa para os outros. É um facto com que temos de aprender a lidar. Gostava mesmo que as pessoas vissem em mim aquilo que eu sou, que é muito mais do que demonstro ser. A minha convivência com os outros e a opinião deles é o que me prova o que tenho estado a tentar dizer. Essa convivência pode rebaixar de uma forma bruta a nossa auto-estima, não porque sejamos más pessoas mas sim porque as nossas atitudes não são as melhores, por vezes até nem são e outras vezes porque é assim que são vistas. Nós somos muito mais do que aquilo que vemos ao espelho. O espelho não passa de um reflexo pois ele não fala contigo nem avalia as tuas atitudes.

1 comentário:

Mário Duarte disse...

Sabes que já pensei nisto que escreveste...é verdade verdadinhs :)

Por vezes gostava de me libertar do meu corpo e ir para um canto observar-me...observar as minhas atitudes, as minhas expressões, gostava de poder avaliar-me...dizer se sou tótó ou (a)normal...ver o que os outros vêm em mim...

Quanto ao facto de insinuares que sou cota, vou manter a minha postura, não vou responder a essa boca foleira e não vou ser desbocado senão ia ser muito ruim para ti...até porque não sou eu que tenho pelos na barriga...eheh

Beijitos oh Tótó :P