sábado, 25 de abril de 2009

fico pelos cabelos


Já disse que não gosto de ti quando abres a boca para dizeres essas coisas parvas a torto e a direito? Meu amigo tenho um carinho por ti e detesto quando fazes as coisas assim. Irritas-me! Fico com uma vontade de espetar uma caneta na tua garganta! Fico irritada. Fico fula. E de um momento para outro metes-me mal disposta e com vontade de te mandar para um certo sítio! Detesto-te! Mas por outro lado, pertences-me tanto. E não me imagino a viver sem ti, amigo. Mas a sério que me deixas, por aqui, pelos cabelos! percebes-te? odeio-te mas odeio-te.

2 comentários:

Rabisco disse...

"Odeio-te mas odeio-te" ou será "odeio-te mas adoro-te"?

É!
As pessoas realmente significativas nas nossas vidas são aquelas que também têm a capacidade de nos tirarem do sério.
Mas se o fazem é porque são realmente importantes para nós, ou porque nos dizem o que preferíamos não ouvir ou simplesmente porque tiraram o dia para nos chatearem.
Mesmo assim, as nossas vidas não seriam mais as mesmas elas elas.

É por isso que é bom dizer...
Chateia-me que eu adoro-te tanto como te odeio mas não me deixes!

Beijinhos

Teresinha disse...

eu já dei um hoje (: