segunda-feira, 13 de abril de 2009

'i hate the phone, but I wish you'd call'



Sempre que ela chega ao meu ouvido só me lembra uma coisa, uma pessoa, TU
Não, estou a mentir,.. faz-me lembrar EU, claro! Pronto ok, faz-me lembrar os dois, mas mais a parte que me toca, no sentimento que está dentro de mim. Tenho aqui dentro um lugar especial para ti, e tenho medo que ele só seja aberto com uma chave que ainda ninguém sabe onde ela pára. Dá cá uns nervozinhos, do diabo! Vá não é ninguém em especial, és só TU. E só EU.
EU porque me sinto uma adolescente viciada no telemóvel, que está a dar os primeiros passos para a psicopatia porque acho que é a tecnologia que te traz até mim da maneira que desejo, quando no fundo por mais que não goste de aceitar, não é. Eu sei, mas vocês pensam que eu não sei!?
Eu como miúdinha que sou, nos meus conselhos digo tudo aquilo que dp não sou capaz de fazer e ainda que isto não chegasse, ouço das minhas amoras! Sinceramente oh Daniela!
Eu também prometo que um dia páro de mandar mensagens, páro de desesperar pela resposta, páro de criar expectativas, páro de deixar cuscar tudo o que a ti esteja ligado, mas não páro de sonhar e imaginar como as coisas seriam a dois, connosco.
A culpa é das tecnologias, se elas não existissem era diferente. Tinha de desesperar por voltar a falar contigo e para além disto desesperava mais por te voltar a ver. Mas o mais chato é que se junta tudo, e esta sopa de letras tem algum motivo! Eu sou assim, procuro. Procuro por esse por esse homem que possa realmente mudar-me, a mim e à minha vida. E eu ao mínimo olhar, à mínima palavra, ao mínimo gesto, ao mínimo sonho, à mínima coisa acha que é dali que tudo o que quero se pode tornar possivel. Mas o pior é que 'quanto maior a ilusão, maior a desilusão' e cada vez tenho mais medo. Mas prometo que um dia paro com certas coisinhas, para depois afirmar como a emoção é muito maior quando menos esperamos pelas coisas, ou queremos que elas aconteçam. Por isso é que eu quero tentar mudar essas coisinhas em mim, para que as coisas sejam melhores e que finalmente alguém encontre a chave! Apesar de eu conseguir arrebentar com o cadeado

1 comentário:

Clara disse...

Quando menos esperares, acontece sempre algo de surpreendente pela positiva ;)