domingo, 22 de fevereiro de 2009

Vivo na esperança de amanhã acordar e ver que esse é o dia que muda a minha vida. O dia que me traz os melhores raios solares que não me queimem. O dia em que aparece o homem que substituí as tristezas e duplica as alegrias. O dia em que consigo fechar os olhos e limpar a minha mente dos pedacinhos em que o meu coração se desfez (não não sou perfeita). Mas percebes? O dia em que tu chegas e mudas mais a minha vida. Sou daquele tipo de miúda que ainda espera e não vai à luta, sou, e por vezes desisto não por não ser capaz de ir à luta mas sim por não ter forças para sofrer, pelo meu medo. A minha mãe sempre me disse que valia sempre a pena, e quando realmente tento e vou à luta mesmo por maior que seja a desilusão, é claro que também também o seu lado bonito. Bonito era ter-te comigo, a abraçares-me todos os dias e a beijares-me como se não houvesse amanhã. Não penses que só te queria para receber, pois também te ia fazer ver que tal como tu podias ser o homem da minha vida, eu também podia ser a mulher da tua vida. Não te prometia amar-te para sempre, porque não gosto de prometer algo que posso não vir a cumprir mas garantia-te tudo o que o meu coração te quisesse dizer e partilhar todos os dias, seguidos até um fim (quem sabe se esse fim não seria o dia em que juntos crescemos juntos morremos velhinhos). Não estou à espera que chegues cheio de perfeição mas sim que chegues com muito amor, e que comigo o partilhes, mas quero que partilhes mil e uma coisas, não apenas amor. Pessoas como tu todas as miúdas querem para te tornarem no príncipe encantado que nunca antes tinha passado pela nossa vida. Esses são aqueles que nos fazem sentir princesas, à nossa e à vossa maneira. À nossa porque consigo eles trazem o amor e o conto de fadas e escrito e à nossa porque nos apaixonamos à grande! Ás vezes à grande também significa pelos piores e menores defeitos, mas é assim que é gostar. Mas por favor vem aparece e faz-me acreditar, entra, eu dou-te a chave do meu coração só preciso que me mostres desde o primeiro olhar, o primeiro sorriso, a primeira lágrima, o primeiro beijo, o primeiro nós que existe e não morre. Eu sei que tu também sentes o mesmo, só não sei é por onde andas, mas espero que saibas que eu estou mesmo aqui, à tua espera junto ao sol e ás estrelas. Já sinto o teu cheiro, e o teu toque só não te sinto a ti. Traz contigo a paixão que tenho comigo e te garanto que para ambos valerá a pena

1 comentário:

Clara disse...

São meras palavras que tanto eu como tu gostavamos que se tornasse realidade... Mas ele ha-de chegar, nem que chegue num carro todo velhinho, caido de podre e nos leve a passear à praia para ver o pôr-do-sol, cada um com o seu principe. ;P

Adoro-te miuda !