segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Sinto então a ausência e saudade e por isto me embalo em palavras e me aconchego em leituras. Anseio por uma boa mudança que pudesse chegar e ás vezes todas as minhas exigências toda a minha ambição e todas as expectativas levam-me à desilusão. Ás vezes o que escuto ainda me faz sentir menos bem e cada que vez que penso e volto a pensar e não me sai do pensamento parto para um escuro desconhecido dentro de mim. Se pudesse ao menos demonstrar tudo o que sinto e dizer tudo o que a minha língua precisa de esticar... Mas o medo, este que no dicionário devia constar como antónimo de vontade, esse por vezes impede-me de agir de tal maneira e por mais que o tente vencer há sempre um bichinho mais forte. E todo o medo q trago dentro de mim é porque o meu futuro assusta-me, tenho mesmo medo. Não gosto de olhar para o me presente e ver que demorei tanto tempo a construir uma pessoa no meio da ajuda de tantas outras, e depois parece que a ausência a provoca para se ir desfazendo. Cada dia que passa é mais uma ilusão, traz mais esperança, traz mais fantasia e medo e esse ontem nem sempre me traz os sorrisos mais verdadeiros, mas cada vez os mais rasgados. Os mais rasgados já eu trago comigo há muito tempo, será sempre a minha farsa. Seja por própria vontade ou por vergonha, todos nós temos os nossos segredos. Tal como temos os nossos talentos e as nossas falhas. Não é fácil e um simples gesto dos verdadeiros faz tanta falta como o carinho e a presença, e amizade que nunca fica atrás. Sentimentos que trago com a minha farsa, mas é essa farsa que todos conhecem. Poucos se dignam a conhecer o verdadeiro 'eu' e por mais que me dê a conhecer é claro q também tenho um outro eu dentro de mim, porque isso todos nós temos. Agora não me peçam para pôr um sorriso e seguir em frente e blá blá porque esses discursos são todos bonitos mas quando somos nós a sentir já não é tão bonito como parece. Sim eu consigo dar a volta isto com esses sorrisos rasgados e também sei dar esses conselhos todos bonitinhos, e quando não estou bem com vontade também sei dar a volta por cima, com ou sem discursos... mas agora não quero continuar com a maioria desta farsa. Nunca quis magoar as pessoas, mas dessas pessoas poucas se preocupam em apenas não serem magoadas porque no que toca a magoar ninguém é egoísta! Vamos aguentando e suportando que nos vamos cansando até ao dia q nos cansamos á grande e rebentamos, mas esse suposto dia tornasse repetitivo e aí cada vez mais se torna insuportável viver assim. Não pensem que não tenho amor á vida e ás coisas belas, agarro-me muito e muitas vezes a elas, mas todo o 'insuportável' torna tudo mesmo assim, insuportável.

Sem comentários: