sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

'Ao espelho, onde vês o reflexo entre o homem que és e aquele que gostarias de ser, respiras fundo e desejas que essa mulher chegue um dia, não demasiado cedo para te assustar nem demasiado tarde, porque, entretanto, pode aparecer outra e tu vais deixar-te ir, convencido de que é essa, e não eu, a mulher da tua vida. O que tu não sabes, meu querubim cansado, é que do outro lado do espelho eu te vigio, como se fosse o teu avesso, e te protejo, como se fosse o teu presente, e te desejo, como se pudesse ser o teu futuro. Mas ainda é demasiado cedo, é ainda tempo de guardar no silêncio dos dias a vontade de te querer (...)'

Sem comentários: