quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Quando se passa algo na nossa vida o nosso primeiro recurso é partilhar com as pessoas de quem mais gostamos. Mas para elas é óbvio que o significado nunca é o mesmo, ás vezes nem significado têm, e por vezes isso desanima-nos. No entanto quando são os outros a recorrer a nós também é normal que se passe o mesmo. Por vezes tudo nos outros toca, pouco ou muito mas nós também sentimos a alegria ou a dor dos outros, mas isso existe quando os outros também sentem o mesmo com as nossas coisas, quando somos entendidos e há forças que nos levam a querer também entender o valor das outras coisas das outras pessoas
Todos os dias após acordar sinto que um novo dia chegou para me fazer esquecer o ontem e o todo o antes, mas pouco tempo depois.. há algo que me traz ao presente o passado e não me deixa seguir em frente. Estou sempre presa ao meu passado.
Por mais que me magoem e não sintam isso eu tento sempre esquecer a cada dia que chega, mas cada se me continuam a magoar torna-se mais difícil esquecer. Quando somos nós a magoar nem reparamos nisso , e ás vezes queremos lá saber disso para alguma coisa, mas quando os outros nos magoam.. cá dentro dói e começamos a pensar, a reflectir, sobre as pessoas que mais nos rodeiam e vemos que muitas delas nos são mesmo essenciais daí isso nos magoar mais, e para além de nos terem magoado com atitudes ou palavras ainda nos magoam mais pela dor da situação que causam. E eu que sei o quanto gosto de cada pessoas não sei como ultrapassar a dor que aqui me causaram, nem nos diálogos tudo se diz, mas já sei que não consigo fingir o suficiente.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

"Gosto de acreditar que tenho o dom de tornar realidade as minhas ficções. E, neste momento, tu és a minha mais bela ficção, um sonho que acalento como uma criança que cresce, sabendo que a espera será grande, será arriscada e ninguém sabe se será frutífera. O objectivo não é o mais importante, mas sim o caminho que se percorre para o alcançar.
Somos nós, com os nossos passos, que vamos fazendo o nosso próprio caminho. Há quem corra demasiado depressa e perca a alma no trajecto, há quem mude de ideias e arrisque um atalho, há quem não saiba escolher a melhor direcção quando chega a uma encruzilhada, há quem deixe pedras pelo caminho para não se perder, se precisar voltar atrás.
Não sei de que espécie de caminhante sou, para onde vou, não sei. Nem sei para onde vais. Nem tu sabes. Pode ser que um dia acordes com uma luz nova, uma força desconhecida que te vai trazer até mim. (...) Sei que há uma força estranha quem me faz correr para ti, embora nunca, em nenhuma circunstância, corra atrás de ti, porque não posso, não me é permitido interferir no teu destino e mudar o curso da tua vida. Isso, terás de ser tu a fazê-lo, por ti e para ti, se assim o entenderes."
"O que eu queria era ficar contigo todos os minutos possíveis, como acontece aos apaixonados, mas também queria fazer tudo bem feito e por isso contive-me, deixando o momento respirar e sonhar contigo acordada, desejando que fizesses o mesmo (...) Apaixonamos-nos para nos podermos elevar do mundo como ele é, dos seus cinismos e da sua brutalidade inevitável. O amor serve para voar por cima das coisas más. O amor transforma os homens em heróis e as mulheres em fadas. E o meu amor por ti dá-me asas para sonhar, arriscar,descobrir, rir, sentir e ainda mais importante do que tudo isso,escrever. (...) Se não estivesse encantada contigo, quase poderia dizer que estava ali o ínicio de uma bela e grande amizade. Mas conheço-me muito bem para saber que não foi com amigo que olhei para ti. Olhei para ti como uma mulher olha para um homem quando o deseja, quando sonha com ele, quando quer entregar-se a ele e senti-lo dentro dela. (...) E mesmo que tivesses entrado na minha vida para me mostrar isso, já teria valido a pena."

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Vivo na esperança de amanhã acordar e ver que esse é o dia que muda a minha vida. O dia que me traz os melhores raios solares que não me queimem. O dia em que aparece o homem que substituí as tristezas e duplica as alegrias. O dia em que consigo fechar os olhos e limpar a minha mente dos pedacinhos em que o meu coração se desfez (não não sou perfeita). Mas percebes? O dia em que tu chegas e mudas mais a minha vida. Sou daquele tipo de miúda que ainda espera e não vai à luta, sou, e por vezes desisto não por não ser capaz de ir à luta mas sim por não ter forças para sofrer, pelo meu medo. A minha mãe sempre me disse que valia sempre a pena, e quando realmente tento e vou à luta mesmo por maior que seja a desilusão, é claro que também também o seu lado bonito. Bonito era ter-te comigo, a abraçares-me todos os dias e a beijares-me como se não houvesse amanhã. Não penses que só te queria para receber, pois também te ia fazer ver que tal como tu podias ser o homem da minha vida, eu também podia ser a mulher da tua vida. Não te prometia amar-te para sempre, porque não gosto de prometer algo que posso não vir a cumprir mas garantia-te tudo o que o meu coração te quisesse dizer e partilhar todos os dias, seguidos até um fim (quem sabe se esse fim não seria o dia em que juntos crescemos juntos morremos velhinhos). Não estou à espera que chegues cheio de perfeição mas sim que chegues com muito amor, e que comigo o partilhes, mas quero que partilhes mil e uma coisas, não apenas amor. Pessoas como tu todas as miúdas querem para te tornarem no príncipe encantado que nunca antes tinha passado pela nossa vida. Esses são aqueles que nos fazem sentir princesas, à nossa e à vossa maneira. À nossa porque consigo eles trazem o amor e o conto de fadas e escrito e à nossa porque nos apaixonamos à grande! Ás vezes à grande também significa pelos piores e menores defeitos, mas é assim que é gostar. Mas por favor vem aparece e faz-me acreditar, entra, eu dou-te a chave do meu coração só preciso que me mostres desde o primeiro olhar, o primeiro sorriso, a primeira lágrima, o primeiro beijo, o primeiro nós que existe e não morre. Eu sei que tu também sentes o mesmo, só não sei é por onde andas, mas espero que saibas que eu estou mesmo aqui, à tua espera junto ao sol e ás estrelas. Já sinto o teu cheiro, e o teu toque só não te sinto a ti. Traz contigo a paixão que tenho comigo e te garanto que para ambos valerá a pena

sábado, 21 de fevereiro de 2009

'A Daniela tem que falar consigo própria e ver como o seu corpo reage. Fale consigo e pergunte se é mesmo isso que quer, e veja como o corpo reage (...) o equilíbrio principalmente na adolescência é muito complicado Daniela (....) vai haver alturas na vida em que vamos ter várias opções mas que só podemos optar por uma'

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Sinto então a ausência e saudade e por isto me embalo em palavras e me aconchego em leituras. Anseio por uma boa mudança que pudesse chegar e ás vezes todas as minhas exigências toda a minha ambição e todas as expectativas levam-me à desilusão. Ás vezes o que escuto ainda me faz sentir menos bem e cada que vez que penso e volto a pensar e não me sai do pensamento parto para um escuro desconhecido dentro de mim. Se pudesse ao menos demonstrar tudo o que sinto e dizer tudo o que a minha língua precisa de esticar... Mas o medo, este que no dicionário devia constar como antónimo de vontade, esse por vezes impede-me de agir de tal maneira e por mais que o tente vencer há sempre um bichinho mais forte. E todo o medo q trago dentro de mim é porque o meu futuro assusta-me, tenho mesmo medo. Não gosto de olhar para o me presente e ver que demorei tanto tempo a construir uma pessoa no meio da ajuda de tantas outras, e depois parece que a ausência a provoca para se ir desfazendo. Cada dia que passa é mais uma ilusão, traz mais esperança, traz mais fantasia e medo e esse ontem nem sempre me traz os sorrisos mais verdadeiros, mas cada vez os mais rasgados. Os mais rasgados já eu trago comigo há muito tempo, será sempre a minha farsa. Seja por própria vontade ou por vergonha, todos nós temos os nossos segredos. Tal como temos os nossos talentos e as nossas falhas. Não é fácil e um simples gesto dos verdadeiros faz tanta falta como o carinho e a presença, e amizade que nunca fica atrás. Sentimentos que trago com a minha farsa, mas é essa farsa que todos conhecem. Poucos se dignam a conhecer o verdadeiro 'eu' e por mais que me dê a conhecer é claro q também tenho um outro eu dentro de mim, porque isso todos nós temos. Agora não me peçam para pôr um sorriso e seguir em frente e blá blá porque esses discursos são todos bonitos mas quando somos nós a sentir já não é tão bonito como parece. Sim eu consigo dar a volta isto com esses sorrisos rasgados e também sei dar esses conselhos todos bonitinhos, e quando não estou bem com vontade também sei dar a volta por cima, com ou sem discursos... mas agora não quero continuar com a maioria desta farsa. Nunca quis magoar as pessoas, mas dessas pessoas poucas se preocupam em apenas não serem magoadas porque no que toca a magoar ninguém é egoísta! Vamos aguentando e suportando que nos vamos cansando até ao dia q nos cansamos á grande e rebentamos, mas esse suposto dia tornasse repetitivo e aí cada vez mais se torna insuportável viver assim. Não pensem que não tenho amor á vida e ás coisas belas, agarro-me muito e muitas vezes a elas, mas todo o 'insuportável' torna tudo mesmo assim, insuportável.
'Mas penso demasiado em tudo, tenho sempre coisas para dizer aos outros e sei que os outros nem sempre têm tempo ou paciência para me ouvir.
Temo que todas as palavras que escrevo não passem de fragmentos de uma confissão. Fico sempre com a sensação que falta o essencial, que o mais importante ficou por dizer. Preciso de me sentar todos os dias ao computador e escrever, quase compulsivamente, mesmo que não tenha um livro em mãos. Habituei-me à companhia das palavras, ao silêncio da casa (...) Não é vontade, é necessidade'

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Não me perguntem quantas são as razões que me levam a querer certas coisas, porque quando me perguntarem as razões eu saberei muito melhor as que me levam a querer desistir. Mas para mim 'desistir' é a última opção, porque se me deram vida foi para aprender a dor da derrota e a glória da vitória visto que a vida é como um jogo, desorientação total
Gostei sim de poder estar um bocadinho com uns e com outros, gostei de ver toda aquela decoração, gostei de brincar, gostei de dançar, não gostei que me tivessem então entornado uma imperial para cima do vestido (mas enfim, pagaram-me outra), gostava sim de ter estado mais tempo com todos mas para mim foi muito agradável. A comissão deste ano também se esforçou :p E todos aqueles abraços, e todos aqueles beijinhos e as fotografias, as conversas,o espectáculo de fogo, mas principalmente as companhias valeram o dinheiro q tive de pagar. É bom quando reencontramos aqueles que realmente há muito já não conhecíamos e também os que fazem mais parte do meu dia-a-dia. Meninas q gostam de parecer elegantes e bonitas levam saltos altos e depois andam como as princesas, sempre a perder os sapatos! É duro ser menina, tudo o que nós passámos só para aparecermos assim naquela noite. Hoje é domingo, ontem foi a noite do baile e óbvio que está tudo a ressacar, a arrochar, ou então ainda de pé sei lá, e eu estou aqui a postar..! (porque o messenger esta manhã está um autêntico deserto) Não estou de ressaca porque bebi pouco, estou sim cansada porque ir para um baile cansada isso sim também não se torna nada agradável, experimentem e dps digam-me ;p Agora estou é precisar de um belo duche para me limpar todas estas impurezas e relaxar, e é mesmo o que vou fazer

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

'Ao espelho, onde vês o reflexo entre o homem que és e aquele que gostarias de ser, respiras fundo e desejas que essa mulher chegue um dia, não demasiado cedo para te assustar nem demasiado tarde, porque, entretanto, pode aparecer outra e tu vais deixar-te ir, convencido de que é essa, e não eu, a mulher da tua vida. O que tu não sabes, meu querubim cansado, é que do outro lado do espelho eu te vigio, como se fosse o teu avesso, e te protejo, como se fosse o teu presente, e te desejo, como se pudesse ser o teu futuro. Mas ainda é demasiado cedo, é ainda tempo de guardar no silêncio dos dias a vontade de te querer (...)'

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

'I don't want half hearted love affairs
I need someone who really cares
Life is too short to play silly games
I've promised myself I won't do that again

It's got to be perfect

Too many people take second best
But I won't take anything less
Young hearts are foolish
they make such mistakes

I have been foolish too many times
Now I'm determined I'm gonna get it right

It's got to be perfect'
'Quando se ama alguém, tem-se sempre tempo para essa pessoa. E se ela não vem ter connosco, nós esperamos. O verbo esperar torna-se tão imperativo como o verbo respirar. A vida transforma-se numa estação de comboios e o vento anuncia-nos a chegada antes do alcance do olhar. O amor na espera ensina-nos a ver o futuro, a deseja-lo, a organizar tudo para que ele seja possível. É mais fácil esperar do que desistir. É mais fácil desejar do que esquecer. É mais fácil sonhar do que perder. E para quem vive a sonhar, é muito mais fácil viver.
Espero por ti porque acho que podes ser o homem da minha vida. E espero por ti porque sei esperar, porque nos genes ou na aprendizagem da sabedoria mais íntima e preciosa, há uma voz firme e incessante que me pede para esperar por ti. E eu gosto de ouvir essa voz a embalar-me de noite antes de, tantas e tantas vezes, te encontrar nos meus sonhos, e a acalentar-me de manhã, quando um novo dia chega e me faz pensar o quão longa e inglória pode ser a minha espera'

sábado, 7 de fevereiro de 2009

"Como todas as mulheres, sou ingénua e gosto de acreditar que há homens bons"

'Os verdadeiros Príncipes Encantados não têm pressa na conquista, porque como já escolheram com quem querem passar o resto da vida, têm todo o tempo do mundo; levam-nos a comer um prego no prato porque sabem que, no futuro, nos vão levar à Tour d'Argent; ouvem-nos com atenção e carinho porque se querem habituar à música da nossa voz, e entram-nos no coração bem devagar, respeitando o silêncio das cicatrizes que só o tempo pode apagar. Podem parecer menos empenhados ou sinceros do que os antecessores, mas aquilo a que chamamos hesitação ou timidez talvez seja apenas uma forma de precaução. Eles querem ter a certeza que não se vão enganar.

O Príncipe Encantado não é o namorado mais romântico do mundo que nos cobre de beijos; é o homem que nos puxa o lençol para os ombros a meio da noite para não nos constiparmos ou se levanta as três da manhã para nos fazer um chá de limão quando estamos com dores de garganta. Não é o que nos compra discos românticos e nos trauteia canções de amor no voice mail, é o que nos ouve falar de tudo, mesmo das coisas menos agradáveis. Não é o que diz "Amo-te", mas o que sente que talvez nos possa amar para sempre. Não é o que passa metade das férias connosco e a outra metade com os amigos; é o que passa de vez em quando férias com os amigos.
O Príncipe sabe o que quer não é o melhor namorado do mundo; é o melhor marido do mundo, porque não é o que olha todos os dias para nós, mas o que olha por nós todos os dias. Que tem paciência para os meus, os teus, os nossos filhos e que ainda arranja um lugar na mesa para os filhos dos outros. Que partilha a vida e vê em casa dia uma forma de se dar aos que lhe são próximos. Que ajuda os mais velhos a fazer os trabalhos de casa e põe os mais novos a dormir com uma história de encantar. Que, quando está cansado, fica em silêncio, mas nunca deixa de nos envolver com um sorriso. Não precisa de um carro bestial, basta-lhe uma música bestial para ouvir no carro. Pode ou não ter moto, mas tem quase sempre um cão. Gosta de ler e sai pouco à noite, porque prefere ficar me casa a namorar e a ver os programas de televisão alternativos. Cozinha o básico, mas faz os melhores ovos mexidos do mundo e vai á padaria num feriado. O Príncipe é um Príncipe porque governa um reino, porque sabe dar e partilhar, porque ajuda, apoia e nos faz sentir que somos mesmo muito importantes.

Ora, com tantos sapos no mercado, bem vestidos, cheios de conversa e tiradas poéticas, como é que não nos enganamos? É fácil. Primeiro, é preciso aceitar que, às vezes, nos enganamos mesmo. E depois, é preciso acreditar que, um dia, podemos ter sorte. E como o melhor de estar vivo é saber que tudo muda, um dia muda tudo e ele aparece. Depois, é só deixá-lo ficar um dia atrás do outro...Se for mesmo ele, fica' margarida rebelo pinto

'nunca se sabe o que o amanhã nos reserva'

'é através do tu que me faço eu'

'As concepções de família nunca são as mesmas e ninguém sabe dizer ao certo quando começa uma família. O que todos sabemos é que todos temos família. Mesmo quando já não existe ou está mais distante, todos temos uma família e este sentimento de pertença é poderoso e estruturante. (...) todo o homem é um continente e, por mais solitários que sejamos só podemos viver do contacto com o outro. Precisamos sempre dos outros para sermos nós próprios (...) Nem por isso deixam de ser importantes ou de nos ajudar a sermos nós próprios. Também crescemos e evoluímos por oposição aos outros e é importante darmos sentido a situações que, aparentemente, não têm sentido nenhum. Numa versão mais rente á realidade, muitas vezes nos interrogamos sobre o papel desta ou daquela pessoa na nossa vida. Quando as coisas correm mal, a tentação é evitar os que nos magoam ou deixam perplexos. (...) Em todo o caso, estas pessoas fazem-nos falta para conhecermos os nossos limites, para crescermos, para sabermos como lidar com a frustração e para nos fortalecermos interiormente. Na verdade nunca apetece ter rivais ou opositores mas, em muitos casos, é nas alturas mais adversas e com as pessoas mais difíceis que aprendemos a fazer caminho e conseguimos ir mais longe. Voltando à família é essencial perceber que ela é a nossa primeira (e maior!) escola de humanização e socialização. Somos mais humanos, no sentido total da palavra, através da experiência da família. Crescemos com os nossos fracassos, os nossos erros e as nossas conquistas em família ou por oposição à família e, daí, esta ser a nossa grande referência ao longo da vida."Aprendemos a aturar as pessoas a partir da nossa experiência em família. A tolerância e o respeito são exercitados em família" A família é uma escola de personalismo e de humanismo, portanto. Importa,por isso, ter esta consciência e ficarmos mais atentos uns aos outros. Dentro e fora da família.' ninguém é uma ilha, pag.120

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

hey boy how you been? I got a thousand lines where do I begin?I saw you at the corner my vibe kicked in

este é para a minha porca!



Só porque és mesmo das minhas melhores amigas a alguns anos! Sim temos o nosso mau-feitio e realmente não funciona muito bem ás vezes, ou não funcionou. Detesto quando tenho razão e tu dizes q és tu q tens e vice-versa! Detesto não conseguir ter tanta força de vontade como tu tens para estudar. Detesto veres q a tua vida só se resumo ao estudos e ao teu boy e á tua family e detestares sair á noite, destesto mesmo! Adorei quando aturas-te aquela minha bubadeira. Adorei as nossas megas viagens. Adorei as nossas férias. Adoro as nossas tardes e noites enfim dias no MAC. Não gosto de ás vezes ter de te pagar isto e aquilo mas só pela TUA companhia, vale! Adorei teres estado sempre ali para eu chorar no teu ombro por causa dele, mesmo depois de todos os avisos. Adoro quando desatinamos e dp muito envergonhadas e orgulhosas lá tentamos dar a volta por cima! Adoro dizer-te q a idade não significa maturidade, e tu dizeres q eu sou uma pita! :D Adoro quando fazemos as piores figuras independentemente do que os outros possam dizer. Adoro q tenhas sido por grande parte e principalmente este ano a minha companheira de mesa, porque explicas-me as coisas e ajudas-me. Adoro as nossas tardes de fotografias. Adoro as nossas tardes de 'karaokes' e figuras tristes. Gosto que gostes de te rir com as minhas caras. Gosto q saibas q sempre estive e estou sempre aqui para oq ue for preciso, por muito que concorde ou discorde, somos amigas é por isso. Não gosto de ter q admitir q por mais parvas q sejamos uma com a outra há sempre uma parva maior ao ponto de dar o braço a torcer por esta amizade, e não gosto quando essa parva sou eu! Mas adoro as músicas. Não gosto de estarmos a maioria das vezes uma contra a outra! Não gosto qd te armas em parvita ao gozares cmg, ou me envergonhares á frente de certas pessoas. Mas sei lá com um 1/3 de uma lista de coisas q adoro e detesto como esta, só vou referir aqui mais uma: adoro ser parva ao ponto de gostar assim um bocado grande de ti, andreia! (:

'I BELONG TO YOU, YOU BELONG TO ME FOREVER!'
tanta coisa pq finalmente voltaste ao blog! e ás vezes eu sei q sabe bem ler umas coisinhas assim :p

lê-se cá com cada coisa!

'Sabem, os hamburguers do McDonalds sao como nós e os rapazes ... podemos tar com um na mão e a comer mas ainda estamos a olhar para o menu a pensar qual é o proximo!'
'Ah, ou entao cada dia que la vamos comemos um hamburguer diferente!'
'Ah, isso ja é mais a primeira, porque eu como sempre o mesmo hamburguer quando la vou!'

http://www.hi5.com/friend/p200796973--Ana%20Filipa--html

ouvi hoje e não resisti (:



e claro q já está no meu telemovel!
:P

atchim!

Acho q estou novamente a constipar-me (ainda mais) ! A minha Teresa bem me avisou q eu ía constipar mais e q ainda ía voltar ao médico, ai miúda miúda :p

Bem o meu teste de ingles e de geologia tão feitos por agora, e tudo o que menos penso agora é em notas! Não me quero novamente iludir porq 'qnt maior a ilusão maior a desilusão!' é mesmo isso. Sim porque eu afinal tenho é demasiada confiança em mim e julgo-me a melhor (só pode) porque realmente estou-me sempre a desiludir, então ando a tentar q isto mude! Para a semana chega o de fisico quimica (e sim esse vou ter q marrar asério asério!) e o de português q nunca percebo ao certo que matéria é q sai nestes testes, mas enfim! A melhor solução é estudar :P

Como se eu não me estivesse sempre a queixar q faço montes de tarefas domésticas em casa, (e sim faço mesmo quase todos os dias!) ontem decidi mudar o meu quarto, preciso sempre de mais espaço e ele já esteve mais ou mens como tá agora mas gosto de me deitar na cama de barriguinha para baixo e olhar pela minha janela e ver --->
a escola e os prédios e este belo por do sol!
não é tão agradável como um por do sol á beira mar, ou pura natureza ou sei lá, mas é bom!

Ando para aqui a ouvir as minhas músicas em vez de tar a ver a minha anatomia mas pronto, vim só aqui 'postar'! ;)

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009


começo a sentir-me (minimamente) bem, graças ao tratamento! isto não é assim tão complicado como eu pensava mesmo assim tenho receio á mínima coisa porque cada vez q me doi algo tenho medo q isso me mate, é por isso. Não é por gostar de andar metida em centros de saúde e hospitais nem por querer chamar á atenção é simplesmente porque não quero deixar de viver

you say the right things, to keep me going on to keep me going strong



Isto é para os poucos mas melhores!
Ás vezes eu própria tento exigir das pessoas, mas por vezes também vejo a realidade e vejo que não faz sentido ser assim. Sim de facto gostava que certas pessoas fossem mais isto ou aquilo, gostava que dissessem certas coisas e agissem de certas maneiras mas se calhar os outros também queriam q assim fosse comigo e aí acho que nós não devemos mudar pelos outros mas sim nós próprios e não só por isto, porque sentimos q somos difíceis de aceitar e q somos isto e aquilo e então pronto. Mas de facto estou a aprender q não posso mesmo ser assim, mas q sim devo dar valor a cada gesto que certa pessoa faz comigo e para mim (Desde a preocupação, ao bem estar, a ouvir coisas boas e más, a apoiar e desmotivar, a crescer então...)
E de facto por muita gente q conheça os melhores melhores amigos, conto-os pelos dedos! Sei bem quem eles são e eles também devem saber. Os melhores amigos não se escolhem pelas classes sociais, não se escolhem pelas pessoas q conhecem, os melhores amigos escolhem-se pelas pessoas q são. E eu adoro mesmo saber q vos tenho mesmo qd sou orgulhosa, teimosa, ambiciosa, exigente, autoconfiante, portadora das minhas coisas, autodeterminada, autosuficiente! é sempre chato e agradável quando me tentam ajudar e manter toda esta força aquii dentrooo (:

'Listen
Whenever I'm down I call on you my friend a helping hand you lend in my time of need whenever I'm down I call on you my friend
Whenever I'm down and all that's going on it's really going on, just one of those days and ya you say the right things, to keep me going on to keep me going strong'

E por mais que goste de me isolar com as minhas coisas ás vezes gosto e preciso mesmo de partilhar com alguém estas coisas mas gostava q também depositassem em mim a mesma confiança